27.07.2022
Avaliação
()
O Coletivo Criativo é o projeto de inovação aberta da Portobello que estimula a criação de revestimentos únicos (Projeto: Portobello S.A.)
0

Inovação aberta na arquitetura: conheça produtos do Coletivo Criativo Portobello

A inovação aberta promove o senso de coletividade para a criação de produtos inovadores. Veja como ele funciona no Coletivo Criativo da Portobello
minutos de leitura

A inovação aberta refere-se à promoção de novas ideias em coletividade, em que os colaboradores e as organizações são externas à empresa. Como a Portobello valoriza seus parceiros especificadores, criou o Coletivo Criativo, um programa de inovação aberta que leva profissionais para locais inspiradores com o objetivo de desenvolver uma nova coleção junto à marca.  

Até o momento, três linhas foram desenvolvidas pelo Coletivo Criativo em parceira com a Portobello: após viagens para Copenhague, na Dinamarca (2017), Reykjavik, na Islândia (2018) e Berlim, na Alemanha (2019). E a empresa segue apostando na inovação aberta! Os profissionais que forem selecionados para o Coletivo Criativo em 2022 viajarão para Casablanca, no Marrocos. Enquanto isso, vamos relembrar alguns produtos das primeiras coleções, disponíveis nas lojas Portobello Shop!  

Inovação aberta: produtos criados no Coletivo Criativo da Portobello

Conheça um pouco mais das três linhas cocriadas por profissionais Brasil afora e a equipe da Portobello!  

Berliner  

A geometria de Berliner reveste pisos e paredes (Cocriação: Portobello e Coletivo Criativo Berlim)

Em 2019, a Portobello levou a ideia de inovação aberta para Berlim. Mais de 20 profissionais da arquitetura tiveram a oportunidade de conhecer a capital alemã, que sabe mesclar passado e futuro, clássico e contemporâneo, tradicional e urbano como poucos lugares conseguem.   

Pulsante, coletiva, diversa. Berlim conceitua perfeitamente o que é inovação aberta. Há tantos elementos inspiradores que fica até "fácil" criar um porcelanato fora do que se encontra no mercado. Contudo, essa diversidade pode deixar a criação confusa e sem foco. É nessa hora que o trabalho de pensar em conjunto se faz mais forte. 

A Alemanha é sede da primeira escola de design da história — a Bauhaus, fundada em 1919, e que influenciou a arte e a arquitetura moderna no mundo inteiro.  

A partir da imersão cultural no país, a equipe da Portobello e o grupo de arquitetos parceiros criaram a linha Berliner (berlinense, em português) inspirado na capital alemã. A superfície cerâmica do produto busca reproduzir a diversidade vista na cidade, que consegue receber o espírito jovem e cool em um cenário histórico — e essa mistura única convive pacificamente, de maneira intrínseca.  

Materiais  

A superfície mais vista em Berlim foi a pedra, presente principalmente nas construções mais antigas. Ela acabou se tornando a base para a ideia central de união clássica-contemporânea.  

Com ela, vem também o concreto, base da arquitetura funcionalista (a construção deve ter uma função e ser feita exclusivamente para seu fim). Portanto, Berliner é uma reinterpretação da pedra e do concreto em porcelanato.  

Texturas  

Projeto de banheiro com Berliner Sand Flames (Projeto: Portobello S.A.

Para reinterpretar esses materiais e trazer uma inovação aberta a diferentes estilos, a linha Berliner surge com cores, texturas e formatos distintos. Os tons, aliás, ainda remetem ao lado histórico: a cor mais quente na coleção faz referência à arquitetura pós-guerra. 

Conheça mais projetos incríveis com Berliner aqui.

Harpa 

O formato das mesas Harpa é inspirado no edifício islandês Harpa Concert Hall (Projeto: Portobello S.A.)

Já o produto Harpa surgiu no projeto de inovação aberta realizado na Islândia, um país insular vulcânico de características surpreendentes. Conhecida como terra do gelo e do fogo, a ilha é marcada pelas auroras boreais. Suas cores únicas e brilho esplendoroso influenciam na arquitetura e também em uma das construções mais grandiosas de sua capital, Reykjavík. 

A proposta aqui foi de mesclar as belezas naturais no inverno e a robustez das rochas. Para tanto, a linha reinterpreta Harpa Concert Hall, uma construção magnânima inspirada na aurora boreal. Sua estrutura de aço reflete tanto o mar quanto o céu, proporcionando um efeito colorido único.  

Como o nome sugere, o espaço é voltado para a exibição de concertos e peças. Sua estrutura externa lembra uma colmeia e remete ao basalto, uma pedra vulcânica. O detalhe chamativo fica para o formato de cada entranha — cada uma de um tamanho diferente e preenchida por vidros que lembram a aurora boreal.  

Natureza  

Caracterizada por uma "natureza hostil", a Islândia tem pouquíssimas árvores — suas florestas foram dizimadas pelos vikings há mais de um milênio. Muitas pedras, vento intenso e temperaturas baixas marcam o lado natural do país. Os materiais para arquitetura são, na maioria, importados, desde o concreto. O alumínio é beneficiado na Islândia e é bastante utilizado nas construções.  

Cores  

A cartela de cores do país acompanha essa frieza rochosa e invernal. Por isso inclui, quase sempre, a cor chumbo. O concreto e o metal tingidos dessa cor e o uso das pedras vulcânicas representam bem esse mood.  

O resultado de todas essas percepções é uma superfície de concreto em porcelanato, que tem como principal característica o movimento dos tons, que representa a intensidade da natureza da Islândia. 

Peças  

Mesa Harpa Graphite, de inspiração islandesa (Projeto: Sueli Cardoso / Foto: Alessandro Gruetzmacher)

A linha Harpa conta, hoje, com as mesas supermodernas e geométricas:

  • Harpa Graphite;
  • Harpa Mud;
  • Harpa Rope;
  • e Harpa White.  

Todas no formato 56,4X31,4X66,7cm (largura, profundidade e altura), com superfície Natural.

Dansk  

Porcelanato Dansk Cement White reveste bancada e parte interna da cozinha
(Projeto: Renata Pizzani / Foto: Fabio Junior Severo / CASACOR Paraná 2022)

Por fim, o começo: a linha Dansk foi a primeira cocriação do Coletivo Criativo com a Portobello. Dessa vez, a inspiração veio de Copenhague, capital dinamarquesa que aprimorou algumas características da estética oriental, como pureza estética, funcionalidade e simplicidade formal.  

Uma das características da linha é a reprodução de uma superfície cimentícia minimalista e quase monocromática em tons aconchegantes no porcelanato, que traduz a busca pelo essencial e o aconchego nos espaços de convivência. A linha é para toda a casa, para pisos, paredes, mobiliários, e ainda reveste bancadas de cozinhas e banheiros, produzidas pela Officina Portobello.

Dansk Lys 

Castiçal é central para a cultura dinamarquesa (Projeto: Portobello S.A.)

Além dos revestimentos, a coleção conta com um castiçal — o Dansk Lyz, que representa uma característica marcante do país.  

A luz é um dos elementos centrais da atmosfera hygge, que expressa o je ne sais quoi do dinamarquês. O cidadão valoriza e promove a felicidade e a qualidade de vida em todos os seus detalhes. Na coleção da Porbello, esse estilo de vida é materializado em um castiçal desenvolvido pela Officina.  

A luz de velas é amplamente usada na cultura dinamarquesa, pois proporciona um clima intimista e aconchegante.

Essa linha realmente é inspiradora, não é mesmo? Confira vários projetos com Dansk no Archtrends Portobello

O que é o Coletivo Criativo Portobello

Você pode conhecer um pouco mais sobre o Coletivo Criativo Portobello no primeiro episódio da websérie DOCs UNLTD - Coletivo Criativo: 

Promovido pela Portobello, o Coletivo Criativo é um programa de inovação aberta que proporciona uma viagem anual de pesquisa feita exclusivamente por profissionais cadastrados no Portobello+arquitetura, programa de relacionamento exclusivo das lojas Portobello Shop. 

Reunindo profissionais e equipe da Portobello em busca de inspirações pelo mundo, a ideia é contar com grandes mentes criativas para reinventar o porcelanato periodicamente.   

Em cada viagem, é escolhido um destino inspirador diferente, que servirá de combustível criativo para novas linhas e produtos. Quando voltam da viagem, os profissionais fazem a cocriação de uma linha de porcelanato com a equipe da Portobello.  

Pronto para participar do programa? Para isso, é preciso ser formado em arquitetura, design, engenharia civil ou paisagismo e ter o número do registro do CAU, CREA ou ABD.

Faça seu cadastro no Portobello+arquitetura!  

Imagem principal: O Coletivo Criativo é o projeto de inovação aberta da Portobello que estimula a criação de revestimentos únicos (Projeto: Portobello S.A.)

Compartilhe
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas
Sua avaliação

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2022- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies