14.06.2023
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
Para não errar na construção com porcelanato, tenha um bom planejamento e conheça os cálculos para compra do material (Projeto: Amanda Miranda)

Construção: o essencial a saber em obras com porcelanato

 minutos de leitura
calendar-blank-line
14.06.2023
Reunimos todas as informações que você precisa saber sobre a construção com porcelanato. Acompanhe as principais dicas para ter ambientes impecáveis
minutos de leitura

Realizar uma construção é o sonho de muita gente que quer ter um espaço aconchegante e cheio de personalidade. No entanto, há algumas etapas até conquistar esse ambiente.

E a construção envolve planejamento, orçamento, entre outras burocracias que podem se tornar mais simples com a ajuda de um profissional.

Para te ajudar a entender o passo a passo da construção, preparamos o texto abaixo. Ele está bem completo, com todas as informações que você precisa conferir. Acompanhe!

O passo a passo da construção

ambiente com porcelanato no piso
Construção com porcelanato tem passos importantes a seguir (Projeto: Lisi Sandri / Foto: Felipe Araújo)

Nas linhas a seguir, você vai conferir um verdadeiro passo a passo da construção. Entenda os tópicos que serão abordados:

  • Planejando a construção
  • Dicas para acertar no orçamento da construção
  • Os materiais certos para a construção com porcelanato
  • Qual argamassa escolher para porcelanato?
  • Tudo sobre rejunte para porcelanato
  • Comprando a quantidade certa de materiais para a construção
  • Como fazer o cálculo do piso por m²?
  • E como calcular porcelanato para parede?
  • Acerte na quantidade de argamassa e rejunte
  • Como assentar porcelanato da maneira correta?
  • Passo a passo para assentar porcelanato
  • Cuidados com áreas externas
  • Assentamento de porcelanato em piscinas
  • A importância dos niveladores de porcelanato
  • EPIs essenciais na construção
  • Descarte de resíduos da construção
  • O que fazer com as sobras de material de construção?
  • Como evitar sobras de material?
  • O passo a passo da limpeza antes e depois da construção

Planejando a construção

construção com porcelanato
Planejamento é parte essencial da construção (Projeto: Studio FP02)

Fazer um planejamento da construção como um todo é essencial para garantir que todas as etapas sejam cumpridas dentro do prazo e do orçamento previsto.

Por isso, há algumas etapas para considerar. No entanto, antes de partir para a construção em si, é importante entender como se chegou ao projeto de arquitetura em questão. No geral, ele engloba:

  1. Programa de necessidades, que surge a partir da conversa com o cliente para entender suas expectativas;
  2. Levantamento de dados com todas as informações necessárias para a construção;
  3. Estudo de viabilidade, para entender se é possível tirar o projeto do papel;
  4. Estudo preliminar, que nada mais é do que uma primeira sugestão de projeto;
  5. Anteprojeto, aprofundando o estudo para incluir aspectos mais técnicos como elétrica e hidráulica, por exemplo.

Com essa etapa concluída, é a hora de entender, de fato, qual vai ser o cronograma da construção.

Apesar de todos quererem que o projeto saia do papel rapidamente, nem sempre é possível. Por isso, os profissionais envolvidos precisam ser realistas em seu cronograma, prevendo todas as etapas da obra e, inclusive, alguns imprevistos que podem surgir.

É por isso que é importante ter uma documentação completa e bem detalhada, facilitando o acompanhamento de todos os envolvidos, inclusive os clientes.

Dicas para acertar no orçamento da construção

ambiente com piso de porcelanato
Parte essencial do planejamento da construção é o orçamento (Projeto: Alexandre Marques / Foto: Matheus Moura)

O planejamento da construção envolve não só o cronograma e a documentação, como também o orçamento.

Tudo deve estar documentado, junto com as descrições e especificações de produtos que devem ser comprados.

No entanto, há algumas dicas que podem tornar o orçamento da construção mais simples. Acompanhe!

  1. Tenha um projeto executivo e memorial descritivo antes de começar os cálculos. Afinal, com os desenhos, medidas e outras informações, criar o orçamento vai ser mais assertivo.
  2. Preveja custos diretos e indiretos. Além dos materiais a serem usados na construção, inclua também gastos com a contratação de profissionais terceirizados, equipamentos, deslocamento e por aí vai.
  3. Faça uma análise da curva ABC para entender quais são os itens mais importantes da construção, e quais têm os custos mais elevados. Dessa forma, você consegue negociar melhor os valores do que vai estar em grande quantidade e é muito importante.
  4. Orce taxas e impostos. Afinal, eles precisam ser pagos, seja para a contratação de funcionários ou para o licenciamento da construção, por exemplo.
  5. Inclua seu lucro, conhecido como Bonificação e Despesas Indiretas (BDI). Ele é atrelado a taxas, impostos e custos indiretos da construção.
  6. Divida o orçamento no cronograma para entender corretamente em quais etapas você deve alocar mais ou menos dinheiro.

Os materiais certos para a construção com porcelanato

banheiro com porcelanato
Pesquisa prévia de materiais ajuda no planejamento (Projeto: Doma Arquitetura / Foto: Mari Orsi)

Para concluir as etapas anteriores, você vai precisar fazer uma pesquisa dos materiais que pretende usar. Além, claro, de orçar para entender se são viáveis dentro do orçamento disponível.

No caso de uma construção com porcelanato, além da cerâmica em si, é necessário prever alguns outros materiais essenciais para o seu assentamento. Entenda melhor a seguir.

Qual argamassa escolher para porcelanato?

Nesse caso, o primeiro passo é escolher o formato do porcelanato. Isso porque os maiores, chamados de lastras, precisam de materiais específicos para a fixação nas superfícies.

Então, é a hora de escolher a argamassa para o porcelanato. É ela que vai garantir o nivelamento e a fixação das peças. Portanto, é indispensável.

Contudo, vale observar que a argamassa para porcelanato é especial. Ela já vem pronta e não requer a mistura na construção.

Em sua composição, polímeros são adicionados para tornar o material mais elástico, resistente e impermeável, além de melhorar o rendimento.

Na hora de escolher, é importante entender também a classificação das argamassas. Elas podem ser do tipo:

  • ACI: ideal para cerâmica com até 45×45 cm, aplicada em áreas internas secas ou molhadas. Contudo, não é indicada para porcelanato.
  • ACII: mais aderente e ideal para revestimentos menos porosos. É resistente e absorve bem os impactos. Seu uso pode ser interno, em ambientes secos ou molhados, e até em fachadas, a depender do produto escolhido. Inclusive, pode haver indicação dessa argamassa também para porcelanato.
  • ACIII: costuma ser a argamassa para porcelanato mais indicada. Com a adição de polímeros, é mais aderente e flexível. Sua resistência permite o uso em saunas, piscinas e até churrasqueiras. No entanto, não é indicada para formatos maiores. Nesse caso, o ideal é procurar por argamassa para Lastra (ACIII-E-D).
  • ACIII-E: é ideal para ambientes com alto tráfego, como indústrias e até obras urbanas.

Você também pode acessar a calculadora de argamassa da Portobello para obter mais informações.

Tudo sobre rejunte para porcelanato

banheiro com porcelanato
No box do banheiro, rejunte epóxi pode ser mais resistente (Projeto: Guarize Hoffmann)

Depois de assentar os revestimentos, é hora de aplicar o rejunte no porcelanato. Esse é o produto que vai vedar o revestimento, evitando infiltrações.

Também ajuda no alinhamento das peças, sobretudo daquelas com bordas bold. Ou seja, em que há pequenas diferenças de tamanho entre as cerâmicas.

Contudo, há um rejunte certo para cada piso usado na construção:

  • Cimentício: bastante comum, pode ser usado em toda a construção. Inclusive, é o único indicado para fachadas. Sua composição inclui cimento, agregados minerais, pigmentos e aditivos. Por isso, pode ter manutenção mais frequente, sobretudo no box do banheiro.
  • Acrílico: na Portobello, ele já vem pronto para usar em uma mistura de resina acrílica, cimento, pigmentos, agregados minerais, aditivos e polímeros. É indicado para todas as superfícies, exceto piscinas, saunas e fachadas. Sua durabilidade é maior pela baixa permeabilidade.
  • Epóxi: à base de resina, é ideal para todas as áreas, inclusive para o interior de piscinas. Contudo, pode ser usado em outras superfícies internas e externas. Tem resistência química e mecânica elevada, é impermeável e tem ação bactericida.

Além do tipo, há ainda outros aspectos para considerar, como as cores de rejunte. Nesse caso, não há regra. O ideal é levar em consideração algumas informações sobre o ambiente.

Por exemplo, de acordo com o estilo da construção, é possível escolher uma cor que priorize a uniformidade ou o contraste.

Também dá para ousar na combinação das cores. É possível testar e até buscar referências e tendências para se inspirar.

Outra dica para escolher rejunte de acordo com o nível de exigência do cliente é em relação ao acabamento e à limpeza.

O rejunte cimentício é mais em conta e é bastante democrático. No entanto, fica encardido com mais facilidade, além de desgastar e precisar de manutenção. Portanto, pode ser ideal preferir o epóxi ou acrílico.

Comprando a quantidade certa de materiais para a construção

construção com porcelanato
Acertar na quantidade de material ajuda a evitar desperdícios na construção (Projeto: Fernanda Triches / Foto: Léo Matsuda)

Seja para evitar desperdícios que geram prejuízos ao meio ambiente, ou para manter o orçamento da construção dentro do previsto, é essencial acertar nas quantidades dos materiais.

Antes de entrar mais a fundo sobre como realizar os cálculos, separamos algumas dicas que vão te ajudar nessa fase. Acompanhe!

  • Consulte escalas ou medidas das plantas para não cometer erros. Esse cálculo deve ser feito por um profissional.
  • Preveja cotas de nível e profundidade de piscinas, pois isso ajuda a identificar os níveis, facilitando o cálculo.
  • Para formatos maiores de 60×60, realize a contagem de peças.
  • Saiba onde o assentamento vai começar. Afinal, isso faz diferente nos cortes.
  • Contemple escadas ou bases de alvenaria para entender se a parte de baixo vai receber revestimento ou não.

Como fazer o cálculo do piso por m²?

construção com porcelanato
Cálculo de porcelanato maior que 60×60 deve ser por peça (Projeto: Vanessa Kimye)

Para começar, você vai precisar saber exatamente quanto de porcelanato comprar para revestir o piso da construção. Siga o passo a passo abaixo para entender como é o cálculo por m²:

  1. Multiplique a largura e o comprimento do ambiente para obter a metragem total.
  2. Converta as medidas do porcelanato que você escolheu para metros e multiplique as duas dimensões.
  3. Divida a primeira medida pela segunda. O número que você obtiver equivale à quantidade de peças necessárias para revestir o espaço em questão.

Lembrando que é importante prever uma reserva técnica. Ela garante que não vá faltar material durante a construção, caso alguma peça quebre no transporte ou durante os cortes, por exemplo.

Além disso, é sempre bom ter alguns peças guardadas para uma eventual necessidade de troca no futuro.

Portanto, acrescente 10% no valor que você encontrar a partir do cálculo do revestimento por m² que apresentamos. 

Recomendamos 10% de acréscimo na metragem em conformidade com a norma NBR 9817/1987 e norma de desempenho NBR 15.575. Desses 10%, 5% são para perdas com cortes e outros 5% para reserva em caso de necessidade de reposições pontuais futuras. 

E como calcular porcelanato para parede?

No caso das paredes, o cálculo é praticamente o mesmo. Entretanto, você vai precisar medir o perímetro e a altura, depois multiplicar um valor pelo outro.

Lembre-se ainda de descontar locais que não vão receber o revestimento. É o caso de portas, janelas, entre outras possibilidades.

Acerte na quantidade de argamassa e rejunte

Quando se trata de argamassa e rejunte, cada formato de porcelanato terá um consumo específico de cada um desses dois produtos. 

Mais uma vez, recomendamos usar a calculadora de argamassa e rejunte da Portobello, pois ela te informára a quantidade exata necessária.

Leia também:

Como assentar porcelanato da maneira correta?

O porcelanato é um material nobre, e que pode ter impacto no orçamento da construção. Portanto, se a escolha for por esse tipo de produto, todo cuidado é pouco na hora do assentamento. Alguns detalhes fazem toda a diferença e evita danos às peças na instalação.

Passo a passo para assentar porcelanato

sala com porcelanato
Assentamento correto do porcelanato garante a beleza do ambiente (Projeto: TAU Arquitetos)

Para entender como assentar o porcelanato da forma correta, fizemos um passo a passo simplificado, que você confere abaixo.

  • Passo 1: defina o ambiente. Assim, você escolhe a argamassa ideal para cada área da construção.
  • Passo 2: espere a cura do contrapiso, que acontece em pelo menos 14 dias.
  • Passo 3: garanta que a superfície esteja limpa e seca para não prejudicar a aplicação da argamassa.
  • Passo 4: defina a paginação, ou seja, o padrão ou desenho que o produto vai formar.
  • Passo 5: inspecione todas as peças. As que tiverem pequenos defeitos podem ser usadas em cortes.
  • Passo 6: prepare a argamassa seguindo as indicações do fabricante.
  • Passo 7: aplique a argamassa com o lado liso da desempenadeira. Depois, use o lado dentado para formar cordões. Importante: os cordões devem estar na mesma direção/sentido, nunca cruzados.
  • Passo 8: em peças maiores que 30×30cm (900cm²), aplique argamassa também no tardoz, ou seja, atrás da placa (dupla colagem).
  • Passo 9: coloque a peça sobre a superfície e pressione com as mãos. Use um martelo de borracha até a fixação completa. Contudo, tome cuidado para não quebrar o porcelanato.
  • Passo 10: elimine o excesso de argamassa usando uma esponja ou pano umedecido em água.
  • Passo 11: aplique o rejunte seguindo as nossas anteriores para a sua construção.

Cuidados com áreas externas

construção com porcelanato
Porcelanato para área externa precisa ter resistência ao escorregamento (Projeto: Seferin Arquitetura)

Durante a construção, o assentamento de porcelanato na área externa requer alguns cuidados especiais. Afinal, esse é um espaço que vem sendo cada vez mais usado para lazer e confraternização.

Portanto, além de bonito e confortável, também precisa proporcionar segurança. Sobretudo em áreas externas que ficam expostas à ação do tempo, como a chuva.

Contudo, o assentamento de revestimento em área externa não tem mistério. Segue o mesmo passo a passo que apresentamos anteriormente.

No entanto, antes de partir para essa etapa, é importante destacar que você deve escolher o revestimento certo. Na Portobello, os produtos que recomendamos usar do lado de fora são identificados com a sigla EXT.

Esse tipo de porcelanato tem resistência ao escorregamento. Assim, ajuda a evitar acidentes caso o piso esteja molhado. Uma preocupação importante para quem está planejando a construção.

Agora, se a área for coberta, é possível usar o porcelanato natural. Ele é menos escorregadio que o polido, e também mais fácil de limpar do que o EXT.

Contudo, quando o assunto são as paredes, dá para usar praticamente qualquer revestimento nos espaços externos. Inclusive, é possível instalar porcelanato na fachada para dar um toque especial de sofisticação e autenticidade ao projeto.

Porém, um ponto importante sobre as fachadas é analisar o projeto e altura antes da especificação, sempre acompanhado de um responsável técnico.

Se você ainda está na dúvida sobre o uso do porcelanato em áreas externas, aqui vão algumas vantagens desse material nesse tipo de ambiente:

  • Variedade de cores estampas e texturas, incluindo a possibilidade de usar porcelanato amadeirado no exterior;
  • Versatilidade de uso, seja no piso, na parede, na piscina ou em detalhes como a rodabanca da área gourmet;
  • Baixa absorção de água;
  • Facilidade de instalação;
  • Resistência a manchas;
  • Resistência mecânica;
  • Facilidade de limpeza;
  • Alto desempenho;
  • Cor uniforme;
  • Durabilidade.

Assentamento de porcelanato em piscinas

construção com porcelanato
Até piscinas podem receber porcelanato (Projeto: Claudia M B Grassano Ortenzi / Foto: Isabela Mayer)

O assentamento de porcelanato para piscina também requer alguns cuidados para garantir a segurança de quem vai usar esse espaço de lazer.

Além do porcelanato, ainda é possível usar outros materiais, como é o caso das pastilhas. Contudo, como mencionamos no tópico anterior, o porcelanato apresenta diversas vantagens. Uma das principais, neste caso, é a baixa manutenção.

No entanto, na hora de escolher o material, é importante ficar de olho nas recomendações da norma NBR 9818. Ela diz que o revestimento usado em áreas de piscina e do entorno precisa ser seguro, lavável e não agressivo ao contato.

Complementando sobre o entorno e as bordas, é importante que o revestimento não seja escorregadio e nem muito abrasivo. Em acabamentos e degraus, o ideal é que as bordas sejam arredondadas para evitar acidentes.

Já quanto ao interior da piscina, considere as seguintes dicas:

  • Em piscinas com mais de 60 cm de profundidade, é possível usar revestimento com qualquer acabamento, inclusive polido. No caso da Portobello, procure pelo local de uso FA para garantir que o produto é ideal para o tanque.
  • Em piscinas com menos de 60 cm de profundidade, mantenha inclinação máxima de 8% e escolha produtos com coeficiente de atrito superior a 0,6. Na Portobello, a indicação de uso é FA com acabamento EXT.

Quanto ao assentamento em si, é importante considerar o seguinte:

  • Espere 30 dias de cura do contrapiso.
  • Impermeabilize o contrapiso para evitar eflorescência.
  • Assente o porcelanato sobre a cobertura usando argamassa ACIII branca para piscina ou cinza.
  • Escolha um rejunte epóxi, resistente à água.
  • No caso do assentamento de lastras, use somente Argamassa Lastras (ACIII E-D) e Ultra Bicomponente (ACIII E).
  • Garanta 5% de queda do contrapiso para o ralo.

A importância dos niveladores de porcelanato

cozinha com piso de porcelanato
Niveladores evitam diferenças no assentamento do porcelanato (Projeto: Pedro Motta / Foto: Walter Dias)

Agora, para garantir o sucesso do assentamento do revestimento na construção, é essencial ficar de olho em alguns detalhes. É o caso do uso de niveladores de porcelanato.

Eles facilitam o alinhamento entre as peças. Assim, garantem a estética e, claro, a produtividade da equipe, uma vez que o assentamento se torna mais rápido.

Basicamente, o kit de ferramentas equivale a uma cunha e uma base niveladora. Ele é bem versátil. Só não é indicado para revestimentos com mais de 15mm de espessura, ou que tenha algum relevo decorativo que possa sofrer danos com o uso.

Escolhendo um dos clipes de 1mm, 1,5mm, 2mm e 3mm, não é necessário usar espaçador. Contudo, dá para usar o clipe junto com um espaçador, caso necessário.

Vale destacar que as bases niveladoras são descartáveis. Contudo, as cunhas podem ser reutilizadas.

Outro ponto para ter em mente é que as cunhas só podem ser retiradas depois de 72 horas do assentamento quando se trata de argamassas de cura normal, ou o tempo das argamassas de cura rápida, como a Superior Branca (4 horas).

Também é interessante usar o alicate nessa fase da construção. Essa peça ajuda a nivelar o revestimento, sobretudo quando ele tem grande formato.

Afinal, permite que o assentador exerça a força que é necessária para nivelar o revestimento. Contudo, com o uso da ferramenta ela vai ser sempre a mesma, garantindo a produtividade e evitando diferenças.

EPIs essenciais na construção

Em qualquer construção, os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) devem estar presentes para garantir a segurança dos profissionais. Sobretudo no caso do assentamento de Lastras, que são peças muito grandes.

Nesses casos, para o assentamento interno, é necessário garantir que todos usem:

  • Luvas emborrachadas;
  • Calça comprida;
  • Óculos;
  • Bota.

Já em áreas externas, também há a recomendação de uso de capacete, para manter a integridade dos trabalhadores da construção.

Como geralmente há a necessidade de fazer cortes nas peças para o assentamento, o ideal é estar de máscara nesse momento, evitando a aspiração do pó que pode resultar desse processo.

Descarte de resíduos da construção requer atenção

cozinha com piso de porcelanato
Para uma obra mais sustentável, é necessário fazer o descarte correto dos resíduos (Projeto: Escritório Paula Hueb)

Além de todas essas informações sobre a construção, você também precisa ficar de olho no descarte de entulho. Afinal, toda obra gera lixo e o setor é o principal gerador de resíduos sólidos. Sem falar na sujeira que produz, como veremos mais à frente.

No entanto, é possível garantir uma construção mais sustentável. A começar pelo descarte correto do entulho.

Para começar, é importante entender que o entulho tem diferentes classificações:

  • Classe A: podem ser reutilizados. Entre eles estão sobras de tijolo, placas de porcelanato, entre outros.
  • Classe B: são materiais recicláveis como madeira, papel e vidro.
  • Classe C: permitem a recuperação ou a reciclagem, como isopor.
  • Classe D: são perigosos para o meio ambiente e podem prejudicar a saúde das pessoas. Entre os exemplos estão solventes, óleos e tintas.

O que fazer com as sobras de material de construção?

construção com porcelanato
Diferentes formas de descartar resíduos da construção podem ser combinadas (Projeto: IK Studio)

Há algumas opções para descartar sobras de material de construção. A primeira delas é usar o sistema convencional de coleta de lixo.

Contudo, costuma haver um limite para a recolha desses resíduos, que tende a ser de até 50kg. Verifique ainda se a cidade conta com algum ecoponto. Nesses locais, costuma haver a separação de materiais para a reciclagem ou descarte correto.

Também existe a possibilidade de contratar uma transportadora. Principalmente quando se trata de uma construção de grande porte, que gera muito entulho.

Vale destacar ainda que algumas cidades contam com iniciativas beneficentes que recolhem sobras de materiais de construção para usar em projetos sociais.

Como evitar sobras de material?

quarto com porcelanato
Planejamento ajuda a evitar desperdício na construção (Projeto: Pluria Multidesign)

Além de saber como descartar o entulho corretamente, é essencial tomar medidas que ajudem a gerar menos resíduos. Entre elas, estão:

  1. Planejamento, principalmente na hora de fazer os cálculos e tirar as medidas necessárias.
  2. Materiais de qualidade, que durem bastante tempo e não seja necessário fazer reparos no curto prazo.
  3. Treino dos colaboradores. Quando eles sabem usar materiais e ferramentas de forma correta, o desperdício é menor.
  4. Canteiro de obras organizado, evitando quebra ou perda de materiais.
  5. Reaproveitamento de material, de maneira que se use o máximo de produtos possíveis, evitando o descarte.

O passo a passo da limpeza antes e depois da construção

projeto de sala com porcelanato
É necessário realizar limpeza antes e depois da obra (Projeto: Victor Romansini)

Como mencionamos, além dos resíduos, a construção também produz bastante sujeira. No entanto, o que nem todo mundo sabe é que é necessário fazer uma limpeza pré-obra também.

Dessa maneira, é possível remover resíduos e sujeiras que dificultem a aderência de materiais, como revestimentos.

Nesses casos, o uso de uma vassoura costuma ser suficiente. No entanto, se não for o bastante, é possível usar água. Contudo, é necessário esperar secar completamente para continuar os trabalhos.

Já a limpeza pós-obra é um pouco mais complexa. Confira algumas dicas:

  • Espere até a obra estar totalmente finalizada.
  • Proteja os móveis.
  • Organize o ambiente e remova protetores de piso e parede.
  • Comece a limpeza de cima para baixo, iniciando pelos fundos e concentrando a sujeira em um só local.
  • Certifique-se de que a argamassa e o rejunte estão secos e remova os excessos usando uma esponja macia umedecida em água.
  • Conclua aplicando o produto Clean Max, da Sika/Portobello. Outras opções são o Veja Cloro Ativo e CIF.
  • Para a limpeza dos vidros, use uma mistura de uma colher de sopa de vinagre, uma colher de sopa de álcool e 5 litros de água. Então, aplique a solução de forma leve para remover excesso de produtos.

Gostou de conferir tudo sobre construção? Continue no Archtrends para descobrir quais são os tipos de porcelanato disponíveis no mercado!

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Construção: o essencial a saber em obras co...

Construção: o essencial a saber em obras com porcelanato

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies