09.10.2023
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
Bate-papo com Patricia Pomerantzeff revela conceito da sua cocriação com a Officina Portobello (Foto: Archtrends)

Doma Arquitetura fala sobre Officina Portobello no Archtrends Podcast

 minutos de leitura
calendar-blank-line
09.10.2023
Domateca é um sistema de bancadas de cozinha que compõe diferentes ambientes. Confira tudo sobre a cocriação com a Officina Portobello.
minutos de leitura

Em mais um episódio do Archtrends Podcast, Maria Silvia Ferraz, editora do Archtrends, e Willians Babler, Especialista de Produto, conversaram com Patricia Pomerantzeff, da Doma Arquitetura. Em pauta, sua recente cocriação com a Officina Portobello: a linha Domateca.

A ideia foi oferecer produtos adaptáveis às diferentes cozinhas. Afinal, cada projeto é único, assim como as necessidades e desejos de cada cliente.

Para isso, a Domateca traz módulos que podem compor bancadas de diferentes tamanhos e em diversos formatos. Além de acessórios que podem complementar o ambiente, levando praticidade.

Nas linhas a seguir, confira os destaques da conversa com Patricia Pomerantzeff, descubra os detalhes sobre a Domateca e outras curiosidades sobre a arquiteta.

Como a Doma Arquitetura escolhe seus projetos?

Com uma demanda maior do que a capacidade de atender, Patricia Pomerantzeff revela alguns critérios que ela e sua equipe precisam usar para escolher os projetos da Doma Arquitetura.

Um deles é a distância. Como eles moram em São Paulo, muitas vezes há um tempo grande de deslocamento, sobretudo por causa do trânsito.

Sendo assim, nos últimos 4 anos eles vêm atendendo a clientes em um raio de 5km. Assim, é possível garantir um acompanhamento mais próximo do trabalho.

Contudo, ela conta que é possível abrir algumas exceções. Por exemplo, no caso de obras com fator histórico.

Para outras obras, eles contam com escritórios parceiros, em que arquitetos de confiança fazem o acompanhamento. No entanto, o projeto criativo continua sendo da Doma Arquitetura.

Afinal, como a própria Patricia afirma: “a gente diz sim pra todo mundo mesmo”. E essa estratégia de parceria com outros escritórios permite ampliar o leque de possibilidades, atendendo a clientes de, praticamente, qualquer lugar.

Patricia Pomerantzeff
Patricia Pomerantzeff, da Doma Arquitetura, fala sobre sua cocriação com a Officina Portobello (Foto: Archtrends)

A arquiteta, inclusive, conta a história de um cliente do interior do Maranhão. Ele pediu um orçamento e eles enviaram a proposta.

Então, o cliente respondeu que estava emocionado lendo a proposta. Isso porque fazia 5 anos que ele estava pensando em reformar a casa. No entanto, todos os escritórios que ele pediu orçamento disseram que não podiam atender.

Apesar do cliente não ter fechado com a Doma Arquitetura naquele momento, Patricia conta que ficou muito feliz com o retorno positivo.

Como é a cozinha ideal para a Doma Arquitetura?

Para Patricia, a cozinha ideal é aquela prática. “Não adianta ter uma cozinha linda, de capa de revista, e ter que se preocupar em colocar um descanso de mesa cada vez que for tirar uma panela. Eu acho isso surreal”, conta a arquiteta.

Durante a conversa, ela afirma que já usava bancadas de porcelanato em seus projetos. Afinal, o material tem vantagens em comparação a outros. Entre elas, a facilidade de limpar e a resistência mecânica e ao calor. Portanto, é possível tirar a panela do fogo e já colocar sobre a bancada, por exemplo.

A arquiteta ainda complementa, contando que seu marido faz açaí para a família todos os dias e esquece de colocar a tampa na hora de bater. Com isso, eles colecionam manchas no armário, nas roupas, mas a bancada de porcelanato segue impecável!

Leia também:

Como surgiu a Domateca, da Officina Portobello?

A relação entre a Portobello e a Doma Arquitetura vem de longa data. Começou com as especificações dos produtos pelo escritório. Depois, a parceria se estreitou, tornando Patricia Pomerantzeff em uma embaixadora da marca.

Foi então que algo inédito aconteceu: a marca convidou um parceiro para criarem um produto juntos, a linha Domateca, da Officina Portobello.

Patricia conta que se sentiu muito honrada. Afinal, geralmente as cocriações são com “pessoas com nomes de peso e muito mais maduras”, como Ruy Ohtake.

Além disso, em um primeiro momento, ela imaginou que a parceria seria para criar peças pequenas, como ela gosta de especificar em seus projetos. Mas achou incrível a ideia de assinar bancadas de cozinha.

Afinal, fazia todo sentido. “O que eu compartilho nas redes é realmente essa história da gente ter uma variedade de soluções. No meu canal você encontra kitnet, studios pequenininhos de 20, 30 metros quadrados – 15 metros quadrados, eu já compartilhei -, mas também eu mostro mansões”. E complementa: “e a gente tem bancadas em todas essas cozinhas”.

Maria Silvia comenta nesse trecho do podcast que as cozinhas dos projetos da Doma Arquitetura sempre são muito especiais e marcantes.

“Eles gostam de falar que o coração da casa é na cozinha”, afirma Patricia sobre as respostas que mais ouve dos clientes quando pergunta qual a parte mais importante.

Inclusive, na casa dela, a cozinha é um lugar especial. Ela conta que, apesar de ter uma sala de jantar, ela, o marido e os dois filhos costumam tomar café e jantar em uma mesa menor, que fica na cozinha.

“É um lugar que tem um quentinho ali no coração. Essa história da gente se reunir ao redor da fogueira desde as cavernas, eu acho que hoje em dia a gente se reúne ao redor do fogão. É um lugar que a gente gosta muito de ficar”.

As soluções da Domateca para a Officina Portobello

A linha Domateca foi apresentada na Revestir 2023, mas ainda levou algum tempo para chegar às lojas e poder ser especificada nos projetos.

Patricia conta que ficou muito ansiosa por esse momento. Inclusive, porque ela entende que há diferença entre a apresentação do produto e a explicação do conceito.

Nesse caso, a linha Domateca chega à Officina Portobello para ser uma biblioteca de soluções. Justamente por isso o nome.

Apesar da bancada apresentada na Revestir ser enorme, ela pode ser adaptada para uma kitnet ou um studio, por exemplo. E é exatamente essa a proposta da linha.

“A gente tem medidas pré-estabelecidas. Então tem esse cardápio de soluções. Uma biblioteca mesmo, com medidas que a gente pensou já com as cubas em inox”, explica Patricia.

Sobre as cubas, Patricia conta que era uma preocupação sua, por causa da praticidade de higiene. E completa: “a gente conseguiu criar um encaixe perfeito da cuba com o porcelanato”.

Além da variação de tamanhos, tem também cuba dupla e só como um suporte para lavar alimentos.

Isso sem falar nos acessórios, que podem ser adaptados. São apoios que podem servir de diferentes formas, como escorredor, por exemplo.

Eles chegam em inox ou madeira e podem ser usados ainda para embutir lixeira, detergente, entre outras possibilidades. “A ideia é fazer como um checklist das suas necessidades e desejos”, conta Patricia,

Os produtos da Officina Portobello ainda são bonitos. Contam com uma parte frontal que se sobressai, ganhando destaque. Isso sem deixar de lado a praticidade, uma vez que contam com um caimento de água planejado.

Patricia compartilha histórias de viagem

Na última parte da conversa, Patricia fala sobre a sua viagem para a Escandinávia, região da Europa formada por três países: Dinamarca, Noruega e Suécia.

Ela conta que a ideia do destino partiu de sua filha mais velha, que podia escolher um destino para comemorar seus 18 anos.

Foi então que a estudante de moda escolheu um destino que mistura arquitetura, paisagens de tirar o fôlego, muita história e, claro, moda!

“A parte da arquitetura é surreal. A Suécia foi um país que se manteve neutro. Então, a cidade antiga, medieval, é muito conservada”. Contudo, muitas construções foram destruídas por causa do fogo, pois naquela época ele era usado para o aquecimento.

Apesar disso, Patricia destaca a junção da história com a arquitetura contemporânea. Sobretudo na Dinamarca.

Para exemplificar, ela conta de um prédio com uma pista de esqui na cobertura. E explica: “são ideias surreais que eles tiram do papel sempre pensando no bem-estar das pessoas”. Algo que vem se tornando uma tendência cada vez mais forte nos dias de hoje: a personalização e a autenticidade.

A arquiteta ainda conta que, nessa região, eles privilegiam muito ciclovias. Isso pensando não só na sustentabilidade, mas também no bem-estar. Afinal, eles afirmam que pedalar leva energia e faz com que as pessoas se sintam melhor e sejam mais produtivas.

Tal praticidade combina e muito com o estilo dos projetos da Doma Arquitetura. Inclusive, com a própria linha Domateca, cocriação com a Officina Portobello.

Se você gostou de conferir esse episódio, também vai curtir outras conversas com personalidades e profissionais renomados. Assista a mais do Archtrends Podcast!

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Doma Arquitetura fala sobre Officina Portobel...

Doma Arquitetura fala sobre Officina Portobello no Archtrends Podcast

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies