30.05.2023
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
Ambiente amplo com piso de mármore e teto de madeira
Iluminação artificial ajuda a tornar os espaços bonitos, funcionais e seguros (Projeto: Escritório Paula Hueb Abdala)

As possibilidades da iluminação artificial na arquitetura

 minutos de leitura
calendar-blank-line
30.05.2023
Grande aliada dos projetos de arquitetura e design de interiores, a iluminação artificial pode ter diferentes finalidades. Entenda
minutos de leitura

A iluminação artificial é um elemento que pode destacar ou ofuscar projetos de arquitetura e design de interiores. Afinal, é capaz de transformar completamente um ambiente.

Em conjunto com a iluminação natural, tem a função de elevar o bem-estar, proporcionar descanso e até contribuir com a produtividade.

Portanto, o planejamento da iluminação artificial vai depender muito do uso do espaço. O ideal é que seja planejada de maneira que atenda às necessidades dos moradores, proporcionando conforto visual.

Quer entender melhor sobre esse assunto? Nas linhas a seguir, vamos explorar o papel da iluminação artificial para os projeto. Confira!

O que é a iluminação artificial?

Basicamente, é uma fonte de luz artificial, projetada para clarear espaços fechados ou abertos.

Funciona de forma complementar à iluminação natural, servindo ainda para levar conforto e segurança no período da noite.

Além disso, a iluminação artificial ajuda a criar a atmosfera desejada para os ambientes, tornando-os bonitos e funcionais.

Portanto, é essencial prever a iluminação em um projeto arquitetônico. Seu excesso ou sua falta podem gerar irritabilidade, cansaço e até acidentes por conta da baixa visibilidade de obstáculos.

Sala de estar ampla e moderna
Uso da iluminação artificial pode destacar características da arquitetura (Projeto: Fernanda Triches / Foto: Léo Matsuda)

Leia também:

Qual é a importância da iluminação artificial nos ambientes?

A iluminação artificial desempenha um papel fundamental na criação de ambientes em projetos de arquitetura.

Ela pode ser usada para realçar elementos arquitetônicos, criar ilusões de espaço e destacar objetos decorativos.

Além disso, a iluminação artificial é essencial para locais que não têm acesso à luz natural adequada. Por exemplo, prédios comerciais e residenciais, espaços de trabalho e entretenimento etc.

Fachada com painel de cobogó
Em fachadas, iluminação artificial realça detalhes (Projeto: Elder Salim Alonso / Foto: Felipe Cuine)

Quais são os tipos de iluminação artificial?

Há três tipos básicos de iluminação artificial que contribuem para deixar os espaços mais bonitos, funcionais e seguros. São eles:

  1. direta: incide diretamente sobre uma superfície, sem que haja perdas pela absorção de outros elementos. É ideal para áreas de trabalho, mas pode ser tornar cansativa, além de gerar sombras “duras”;
  2. indireta: é mais suave, uma vez que direciona a fonte de iluminação a um anteparo, que absorve uma parte e reflete o restante na direção contrária. Geralmente, é utilizada em ambientes de relaxamento e descanso;
  3. difusa: é homogênea, pois a luz passa por um elemento difusor, como um vidro leitoso ou uma chapa de acrílico. Tem poucas zonas de sombra e é muito usada como fonte principal.
Sala de TV com piso preto, móveis brancos e detalhes em madeira
Diferentes tipos de iluminação podem ser combinados em um mesmo projeto (Projeto: Vanessa Kimye)

Como usar a iluminação artificial?

Há diferentes formas de usar a iluminação artificial nos projetos. De maneira geral, é interessante combinar as possibilidades, para tornar os espaços mais atraentes.

Iluminação geral

Fornece uma luz uniforme em todo o espaço. É ideal para áreas de trabalho, cozinhas e banheiros. No geral, é do tipo difusa.

  • vantagens: iluminação equilibrada e confortável para o uso diário;
  • desvantagens: pode ser monótona e cansativa, além de não valorizar elementos específicos do ambiente.

Iluminação de tarefas

Depois de providenciar a iluminação geral, é importante considerar o uso do espaço. Assim, dá para entender se uma parte do ambiente precisa de mais luz.

Por exemplo, áreas de trabalho como a bancada da cozinha ou uma mesa de estudos, entre outras possibilidades.

  • vantagens: oferece iluminação adequada para atividades específicas;
  • desvantagens: é restrita a alguns pontos do espaço.
Sala integrada com tons claros e detalhes aconchegantes
Em conjunto com a luz natural, iluminação artificial pode aumentar bem-estar nos espaços
(Projeto: Diniz e Ayub Arquitetura / Foto: Fernanda Felix Fotografia)

Iluminação de destaque

Esse é o tipo de iluminação artificial que destaca objetos específicos do espaço, como esculturas, obras de arte, paredes ou paisagens. Pode ainda realçar elementos arquitetônicos, como colunas, arcos e abóbadas.

  • vantagens: valoriza pontos importantes do ambiente, tornando-o sofisticado e atraente;
  • desvantagens: pode criar sombras e iluminação inadequada em outras áreas. Portanto, o ideal é contar com o planejamento de um especialista.

Mood light

Esse é o tipo de iluminação artificial pensado para criar uma camada diferenciada. O intuito é deixar o espaço relaxante com o uso de luminárias e filetes luminosos, entre outras possibilidades que proporcionem meia-luz.

  • vantagens: deixa os ambientes mais aconchegantes, o que é perfeito para descansar ou receber;
  • desvantagens: ajudar a criar um clima intimista, mas não fornece uma fonte de luz forte. Portanto, o ideal é ter outras possibilidades de iluminação no espaço para quando for necessário.

Quais são as principais fontes de iluminação artificial?

Como vimos, a iluminação artificial pode ser aplicada de diversas formas nos projetos. Entretanto, há ainda outros pontos a se considerar na hora de criar o seu.

Escada com filetes luminosos
Filetes retroiluminados estão entre as possibilidades de iluminação (Projeto: Guarize Hoffmann / Foto: Camila Santos)

Por exemplo, você precisa definir se a aplicação vai ser em área externa ou interna; se vai usar estruturas embutidas, sobrepostas ou pendentes; qual vai ser o formato e o tamanho da fonte de luz; qual o tipo e a quantidade de lâmpadas; etc.

Além disso, é importante considerar qual vai ser a fonte de iluminação artificial. As principais possibilidades são:

  • plafon: pode ser embutido ou sobreposto no teto. Forma uma luz geral e uniforme no ambiente. É fácil de instalar e pode ser encontrado em diferentes formatos e tamanhos;
  • pendente ou lustre: fica pendurado no teto por um fio ou uma corrente. Pode ser usado para fornecer uma luz direcionada e destacar uma área específica;
  • arandela: fixada na parede, pode criar uma luz indireta e aconchegante no espaço. Além disso, serve como um elemento decorativo;
  • spot: fornece luz direcionada ao ser embutido no teto ou na parede. Pode ser usado para destacar objetos decorativos ou áreas específicas, como uma parede com textura ou uma escultura;
  • luminária de piso: fonte de iluminação artificial que fica apoiada no chão. Pode tanto criar uma luz geral ou valorizar uma área específica, como um canto de leitura;
  • abajur: geralmente usado para fornecer luz suave e aconchegante, fica apoiado em uma mesa ou no chão;
  • fita de LED: é flexível. Pode ser aplicada em diversos locais, como embaixo de prateleiras, dentro de armários e em sancas de gesso. Também pode ser usada para criar uma luz indireta e suave, além de permitir a criação de efeitos diferentes;
  • filete retroiluminado: quando a ideia é deixar a fonte de iluminação artificial à mostra, como parte da decoração, essa opção é ideal. Tem aparência agradável e pode ser embutida em escadas e paredes, entre outras possibilidades.

Após conferir mais sobre iluminação artificial, você ainda pode estar com uma dúvida que podemos responder. Afinal, é melhor optar pela luz quente ou fria? Acesse e descubra!

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

As possibilidades da iluminação artificial ...

As possibilidades da iluminação artificial na arquitetura

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Archtrends Portobello
Colunista

O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura...

Conhecer artigos



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies