08.02.2024
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
Alexandre destaca a paixão por viagens, as transformações pessoais e dá valiosas dicas para os apaixonados por viagem (Foto: Archtrends)

Alexandre Disaro fala sobre viagens pelo mundo no Archtrends Podcast

 minutos de leitura
calendar-blank-line
08.02.2024
Fotógrafo e colunista do Archtrends, Alexandre Disaro fala sobre sua paixão por viagens, transformações pessoais e dá dicas valiosas para viajantes
minutos de leitura

Fotógrafo de arquitetura e viagem, e também colunista do Archtrends, Alexandre Disaro foi convidado do Archtrends Podcast para bater um papo com a editora Maria Silvia Ferraz e a jornalista Amanda Sequin sobre viagens.

O fotógrafo é apaixonado por viagens e faz registros de arquitetura, decoração e destinos pelo mundo. 

Essa paixão o levou para mais de 50 países, mas Alexandre revela não se ater mais ao número de países visitados. Ele preza pela experiência e pelas transformações que cada local pode proporcionar, coisas que são incontáveis. 

A seguir, separamos os melhores momentos desta entrevista.

Dicas de viagem com Alexandre Disaro

Assista na íntegra o episódio com o fotógrafo e viajante Alexandre Disaro.

A paixão por viagens e a parceria com o Archtrends

A parceria entre o colunista e o Archtrends começou no início de 2023. Alexandre Disaro foi convidado para produzir conteúdos sobre a viagem de três meses que estava fazendo. 

Logo após, ele viajou para Milão e foi novamente convidado para escrever para o Archtrends. Desta vez, sobre a Semana de Milão

Depois destas colaborações, a parceria se firmou e ele foi convidado para se tornar colunista fixo do site.

Vale ressaltar que as viagens entraram na vida de Alexandre muito cedo. Elas, talvez, sejam a realização dos seus sonhos de infância. 

Leia também:

Ser viajante é um sonho de infância

Quem conhece e acompanha os conteúdos de viagens do Alexandre Disaro talvez não saiba da origem do seu gosto por novos destinos. 

Ele nos revela que esta sua paixão está intimamente ligada à infância. Ale Disaro relembra duas memórias muito fortes dessa época que são bastante conectadas com viagens. 

A primeira delas é sobre as inúmeras viagens que fez para a casa de praia da família em Florianópolis, Santa Catarina. Durante essas viagens, Alexandre observava a paisagem e revela lembrar inclusive da presença da fábrica da Portobello neste trajeto.

A outra memória é de uma tia bióloga marinha que morou na Alemanha Oriental. Esta tia levava brinquedos e memórias, histórias e atiçava ainda mais a curiosidade do pequeno Alexandre.

Como parte da profissão, a tia de Alexandre fazia expedições científicas para a Antártida. Esta lembrança em específico alimenta o sonho que Disaro tem de acompanhar e registrar um dia uma expedição científica na região. 

Mesmo ainda não conhecendo a Antártida, Alexandre conseguiu, assim como sua tia, conciliar o trabalho com o desejo de conhecer o mundo. 

Na missão de realizar seu sonho, desde muito cedo, o fotógrafo poupou dinheiro e fez sacrifícios para priorizar as viagens na sua vida. 

Ao mesmo tempo, à medida que foi começando a viajar, a fotografia foi aparecendo como uma linguagem de expressão. Assim, sua atuação como fotógrafo deixa de ser um hobby e passa a ser também profissão. 

Outro ponto que o convidado ressalta é como viagem é coisa séria para ele, uma paixão que ele faz questão de cuidar e manter. 

A estratégia é não se manter muito tempo viajando, longe de casa. Alexandre Disaro acredita que é importante sentir saudades de viajar. Também é importante voltar para casa e para uma rotina.

Viajar é uma oportunidade de se transformar

Quando questionado por Maria Silvia se as viagens o transformam, Alexandre Disaro diz que “a viagem pode transformar se você se estiver disposto que ela transforme”.

A partir desta fala, o fotógrafo destaca a importância de enxergar a viagem como uma possibilidade de transformação. 

“Uma viagem te permite entrar em contato com o diferente, com o novo e com o desconhecido. É preciso curtir e é possível se transformar muito estando aberto para isto. A questão é que esta abertura pode, e certamente irá, ser acompanhada de desconforto. O contato com o diferente nos tira do lugar comum e nem todos estão dispostos a estas experiências”, afirma.

Um destino que mudou Alexandre Diasro foi o Marrocos. Foi nesta viagem de 2016 que ele conseguiu transformar o modo de olhar.

E foi uma transformação radical, que refletiu inclusive nos modos de registrar e experienciar as viagens. 

Seu interesse pelas pessoas, pelo artesanato e pelos modos de fazer e viver de cada local são notáveis nas fotografias que ele passou a fazer a partir desta viagem. 

A partir desta abertura ele consegue perceber e viver mudanças em todas as viagens que faz.

Roteiro para improvisar

A entrevista caminha para o tema roteiro, assunto dominado tanto pelo entrevistado quanto por nossa entrevistadora convidada, jornalista Amanda Sequin. Ela pergunta para Alexandre como funciona a preparação dos roteiros. 

Alexandre nos revela seu lado extremamente curioso e diz que nos meses pré-viagem ele faz uma verdadeira imersão. São inúmeras pesquisas sobre idioma, cultura, arquitetura e fazeres locais. O possível para conhecer mais sobre a história e a arquitetura de cada local.

Alexandre e Amanda ressaltam a importância da pesquisa e como é necessário buscar sempre a identidade de cada lugar. Não utilizar a pesquisa como a verdade absoluta, mas como um guia que permitirá novas experiências.

Outra dica importante é pesquisar referências e blogs no idioma local, o que vai te garantir acesso a informações menos óbvias.

O planejamento precisa ser visto como uma maneira de se abrir para o inusitado que, por sua vez, vai gerar grandes transformações e memórias inesquecíveis.

Viagem não termina, continua na lembrança

Quando perguntado sobre os destinos nacionais que gostaria de conhecer, Alexandre destaca as memórias afetivas do Sul, sua região de origem.

Ainda sobre destinos nacionais, destaca a surpresa que foi conhecer o Vale do Jequitinhonha e acompanhar a produção de cerâmicas por produtores locais.

Em 2023, Alexandre visitou e escreveu em sua coluna sobre a maior feira de arte popular e artesanato do Brasil, a Fenearte.

Ele também revela não ser um comprador compulsivo em viagens e diz que busca sempre comprar direto de quem produz. E comprar objetos que façam sentido.

As viagens são feitas, também, das lembranças. Seja na memória ou nas que podem ser levadas para casa, como as cerâmicas, os tapetes e os bordados. Elementos que garantem que a viagem nunca terá fim. 

Destinos inusitados e perrengues

Os perrengues de viagem são inevitáveis, uma hora ou outra eles aparecerão. Alexandre e as entrevistadoras destacam a importância de se contratar um guia.

Os guias são muito importantes em viagens para locais mais desconhecidos, principalmente os locais com clima ou natureza desafiadoras. Ter o apoio de um guia de confiança pode livrar os viajantes de situações perigosas. 

Quando viajam para esses lugares, Alexandre e Amanda revelam pesquisar o dobro. As pesquisas servem para evitar golpes e, principalmente, evitar situações arriscadas. 

Entre os principais perrengues, Alexandre Disaro destaca que frequentemente enfrenta questões com malas. O perrengue pode ser desde uma mala mal planejada, que desconsidera o clima e a situação, ou que tem excesso ou falta de itens

Outro problema das malas é o extravio, e como solução a dica é sempre viajar com uma mala de mão com o básico para passar alguns dias. Se possível, não despachar a bagagem.

Com ou sem perrengue, é importante conseguir se conectar com o local e viver, de fato, a experiência da viagem.

Conexão com pessoas e cultura local

Quando perguntado sobre gastronomia, Alexandre revela suas preferências: culinária do leste asiático, além de indiana e japonesa.

Mas, além disso, confessa que é aberto a experimentar de tudo. Mesmo as coisas que não gosta. 

Esta atitude reforça o que o entrevistado trouxe a respeito da transformação. É preciso estar aberto para viver experiências durante as viagens. Estas experiências nem sempre vão ser confortáveis, mas certamente serão inesquecíveis.

Milhas e planos para 2024

O assunto milhas, passagens aéreas e oportunidades não poderia ficar de fora. Nosso colunista revela algumas dicas: 

  • Aproveite a Black Friday para reservar hotel, seguro viagem e adquirir milhas;
  • Consuma no cartão de crédito para acumular milhas durante o ano;
  • Planeje-se com antecedência e garanta economia na viagem.

Você consegue encontrar mais dicas lendo o post Como viajar com milhas?, escrito pelo Alexandre.

Ele ainda revelou durante o podcast que sua melhor viagem foi para o Japão, destino para o qual retornará em 2024. 

Este ano, o colunista também conhecerá a Geórgia e a Armênia, viagens que prometem ótimos relatos para sua coluna no Archtrends. 

Aproveite e continue no clima de viagens. Leia sobre as estradas etruscas no sul da Toscana

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Alexandre Disaro fala sobre viagens pelo mund...

Alexandre Disaro fala sobre viagens pelo mundo no Archtrends Podcast

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies