13.07.2023
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
fenearte 2023 exposição Janete Costa
Espaço Janete Costa na Fenearte, em homenagem à grande arquiteta pernambucana que valorizava artesanato brasileiro em seus projetos (Foto: Ale Disaro)

Fenearte: visitando a maior feira de arte popular e artesanato do Brasil

 minutos de leitura
calendar-blank-line
13.07.2023
Ale Disaro viajou a Recife para conferir essa edição da feira, que acontece até 16 de julho
minutos de leitura

Ir para a Fenearte foi uma das viagens mais legais que realizei nestes últimos tempos. Um passeio incrível pela maior feira de arte popular e artesanato do Brasil e da América Latina. Fiquei encantando com o que vivi e emocionado ao presenciar a potência que é a feira. Quero dividir um pouco disso tudo com vocês para que possam também visitar a feira.

Para ouvir o artigo completo, clique no play abaixo:

Estou certo que você vai finalizar a coluna já pesquisando passagens para Recife e planejando sua ida para a Fenearte. Para facilitar sua leitura, os assuntos foram divididos em sete partes:

1) A Fenearte;

2) Para quem é?;

3) O espaço Janete Costa e a arte popular na decoração;

4) Organizando a visita;

5) Circuito Fenearte;

6) Turismo em Recife, Olinda e arredores;

7) Considerações finais.

1) A Fenearte

feira fenearte 2023
Nessa foto é possível ter a dimensão de parte (um quinto) da Fenearte, que reúne mais de 5 mil artesãos (Foto: Ale Disaro)

Em 2023 a Fenearte celebra, entre os dias 5 e 16 de julho, sua 23ª edição no tradicional Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Criada no ano 2000, se consagrou como um dos eventos mais esperados do calendário. Sucesso absoluto, movimenta não apenas as cidades de Olinda e Recife, como também o Nordeste e demais regiões do Brasil. Atualmente é o evento de arte popular e artesanato mais importante do país.

A edição de 2023 conta com mais de 5 mil artesãos de todo o Brasil e de diversos países, além de uma programação intensa com inúmeras oficinas, eventos culinários, números musicais e, pela primeira vez, um circuito por Olinda e Recife, sugerindo diversos equipamentos culturais, atrações, restaurantes, primeira edição da DW! Pernambuco e Art PE.

Todo ano a feira escolhe um tema para homenagear. Neste ano o tema foi: os loiceiros de Pernambuco. A loiça, ou louça, tem a panela como principal objeto – mais do que uma peça utilitária, ela é símbolo da mesa pernambucana.

Pessoas do Brasil inteiro e de fora visitam a feira. Para dimensionar o evento, a edição de 2022 recebeu mais de 300 mil pessoas.

2) Para quem é?

Seja para expor, para comprar ou visitar, gente do Brasil inteiro e do exterior vai à Fenearte. O que me chamou a atenção, em especial, foi a quantidade de gente local prestigiando, consumindo e valorizando o trabalho manual. A arte popular está intimamente ligada à cultura como um todo no Nordeste. O pernambucano e o nordestino se orgulham muito da própria cultura e a vivenciam com gosto, possibilitando o contínuo aperfeiçoamento e a perpetuação desses saberes. É emocionante se sentir parte desse movimento de manutenção cultural.

Não à toa, a feira surgiu no Nordeste, que é um dos solos culturais mais férteis do Brasil e só cresce desde a sua criação.

A Fenearte já faz parte do calendário dos recifenses e olindenses. Julho é mês de feira e o pessoal já se programa para visitar assim que começa. Visitei as casas de alguns recifenses junto com o Lufe Gomes, nas quais ele gravou alguns programas, e, inclusive, uma dessas histórias em breve estará no Archtrends. Tivemos a oportunidade de conversar com os moradores sobre a valorização e consumo de arte popular na cultura nordestina. Todos têm arte popular em casa como elemento decorativo e identitário. Assim como todos sabem os nomes dos artesãos e um pouco da história desses mestres e artistas. E claro, todos são frequentadores e compradores da Fenearte. Nas três casas que visitamos, encontramos peças que eles compraram durante as edições das feiras. A Fenearte é parte da vida das pessoas.

garimpo de arte popular na fenearte 2023
Rodrigo e Breno nos receberam com bolo de rolo e chá para uma conversa gostosa sobre arte popular, garimpo de móveis e a história de vida do casal. A casa transborda alegria e brasilidade. Em breve no Archtrends (Foto: Lufe Gomes)

A feira é também uma oportunidade maravilhosa para conversar com os artesãos e mestres. Arquitetos, designers, decoradores e entusiastas deste universo têm uma oportunidade de ouro para conhecer o trabalho de inúmeros artistas e aprender com eles sobre o próprio ofício.

Hoje, felizmente, o artesanato e a arte popular vivem um momento feliz de crescente interesse e valorização. Cada vez mais pessoas percebem seu valor artístico e o incorporam na decoração. É cada vez mais comum misturar nomes estrangeiros e brasileiros ao falar da decoração da própria casa. Contudo, nem sempre esse foi o caso. Essa trajetória conta com um nome muito importante: Janete Costa.

3) O espaço Janete Costa e a arte popular na decoração

Espaço Janete Costa na Fenearte 2023
O Espaço Janete Costa na Fenearte é um dos destaques da feira, logo na entrada (Foto: Ale Disaro)

Quem visita a Fenearte se depara logo na entrada com um lindo espaço que leva o seu nome. Mas quem foi Janete?

Janete Costa foi uma importante arquiteta pernambucana, conhecida pela qualidade de seus projetos, pelo papel fundamental na valorização da arte popular brasileira inserida no contexto da decoração e por organizar diversas exposições sobre arte popular. Ela foi uma importante voz que uniu esses saberes populares ao universo da arquitetura e decoração. Se hoje encontramos obras populares em ambientes sofisticados devemos, em parte, esse amadurecimento do olhar e acolhimento da brasilidade à ela.

peças de artesanato da curadoria de Roberta Borsoi
Uma das lindas peças de artesanato da curadoria de Roberta Borsoi, arquiteta e filha de Janete Costa (Foto: Ale Disaro)

O espaço que leva o seu nome conta com a curadoria impecável de Roberta Borsoi, sua filha e também arquiteta. Todo ano Roberta honra o legado de Janete selecionando belíssimas peças e as ambientando em espaços que nos inspiram. Um dos espaços obrigatórios da Fenearte.

E por falar nisso, que tal organizar a ida para lá?

4) Organizando a visita

O que ver?

A feira é grande e há muito para se ver. Há pelo menos dois espaços imperdíveis: o espaço Janete Costa e a Alameda dos Mestres.

Espaço Janete Costa na Fenearte
Espaço Janete Costa na Fenearte (Foto: Ale Disaro)

No espaço Janete Costa encontramos uma linda curadoria de peças ambientadas, sendo possível ver a arte popular e o artesanato inseridos num exemplo de ambiente decorado. É tanto um espaço inspiracional, quanto comercial. Os produtos estão à venda e dentro do espaço também acontecem ativações como palestras e bate-papos.

arte Neguiça , cabeça de barro
Na Alameda dos Mestres estão expostos trabalhos dos mais reconhecidos artesãos brasileiros. Na foto, Neguinha com sua conhecida cabeça de barro (Foto: Ale Disaro)

A Alameda dos Mestres é uma das partes mais especiais. Não tem como perder, até porque é o grande corredor que leva às demais seções da feira. Lá encontramos grandes mestres artesãos com seus trabalhos em diversos materiais: couro, cerâmica, pintura, madeira, ferro, bordado, entre outros. Podemos conversar com eles e ver as obras de perto. Uma oportunidade única.

Ao final da Alameda dos Mestres, ingressamos nas demais partes da feira. Para facilitar a orientação há um mapa segmentando o espaço em blocos: materiais (cerâmica, madeira, couro, vidro, pedra, reciclado, metal, fibra, papel, pvc, sintético, borracha, tela e têxtil), prefeituras, associações, etnias indígenas, estados e Sebraes, países e patrocinadores.

ceramiquinho
Ceramiquinho, marca de Recife que traz muita cor e personalidade para a cerâmica. (Foto: Ale Disaro)

O andar de cima é dedicado às oficinas, espaço para desfile, experiências gastronômicas e exposição.

Quanto tempo ficar?

Se você é consumidor final, dedique dois dias para aproveitar a feira e a programação. Se você for lojista, talvez seja necessário um pouco mais de tempo para dedicar a pesquisa, prospecção, relacionamento e compras.

Como chegar?

O aeroporto mais próximo é o de Recife. Ainda, caso saia de Maceió ou João Pessoa, é possível alugar um carro e chegar até Olinda e Recife em algumas horas, podendo transformar o trajeto num lindo passeio pelo litoral.

A feira acontece no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Preste atenção na escolha da sua hospedagem.

Onde se hospedar

Rua 15 de Novembro, em Olinda. Se hospedar na  cidade é uma boa dica para visitantes que querem focar na Fenearte (Foto: Ale Disaro)

Apesar do aeroporto de chegada ser o de Recife, o Centro de Convenções de Pernambuco fica em Olinda. Se você quiser ter uma experiência mais focada entre feira e hotel, definitivamente o lugar mais indicado é um bom hotel na cidade de Olinda. O deslocamento fica menos cansativo. Recife fica próximo e é a sugestão de estadia caso queira aproveitar a vida da cidade para o além feira. A cidade conta com boa hotelaria e oferece muitas opções de serviços e entretenimento.

Um cuidado a ser tomado é com o clima. A Fenearte acontece em julho e o inverno em Recife e Olinda é marcado pelas chuvas. Recife é uma cidade onde, quando chove com intensidade, muitas ruas alagam e a situação fica complicada. Cuidado com o deslocamento, principalmente se você tem voo marcado e seu hotel for em Olinda.

Dicas

O dia de abertura da feira costuma ser tumultuado, pois junto com os visitantes muitos lojistas querem garantir suas compras.

Durante a semana o movimento tende a ser menos intenso, o que proporciona uma experiência mais agradável de passeio e maior possibilidade de interação com os artesãos. Uma boa sugestão é visitar a feira nos dias de semana logo no começo da Fenearte, quando os estoques estão cheios, o ambiente mais calmo e os artesãos cheios de energia.

artista plástico André Menezes na Fenearte 2023
Conhecer e conversar com os artesãos é uma oportunidade única que a Fenearte proporciona. Na foto, André Menezes, artista plástico que trabalha com materiais reciclados e vem recebendo bastante destaque. (Foto: Ale Disaro)

Por falar nos artesãos, converse com eles. Não tenha vergonha. É uma delícia dar um abraço, elogiar o trabalho, aprender mais sobre eles e sobre o que fazem. Troquem contatos.

Os últimos dias de feira, e o último principalmente, costumam ser bem cheios e os artesãos fazem promoções para tentar voltar para casa com o menor número de peças. Se você quiser comprar algo e ter mais margem de negociação esse é um bom período, porém, durante os demais dias de feira muito do estoque já foi sendo vendido. O que sobra para ser negociado não necessariamente é o que você, talvez, quisesse levar.

5) Circuito Fenearte

A grande novidade da 23ª edição foi a criação do primeiro circuito Fenearte. Um extenso roteiro foi desenhado passando por Recife e Olinda para se complementar à experiência da feira. Há sugestões de restaurantes, galerias e equipamentos culturais em ambas as cidades. Nesta edição, dois outros importantes eventos de arte acontecem durante a semana e se integram à programação. Um deles é a primeira edição da DW (Design Week, Semana do Design) em Pernambuco e o outro é a ArtPE. Essa encorpada programação cria uma experiência que remete ao fuorisalone de Milão, onde eventos independentes fora da Salone (Salone é a feira internacional de móveis) se integram e, juntos, configuram a espetacular Design Week de Milão.

Oficina Brennand na Fenearte 2023
A Oficina Brennand faz parte do circuito Fenearte e é uma das visitas sugeridas para quem visita a cidade (Foto: Ale Disaro)

Tive a oportunidade de visitar algumas sugestões do circuito: o galpão que contém o CAPE – Centro de Artesanato de Pernambuco, MAPE – Moda Autoral de Pernambuco, e Bebidas de Pernambuco, todos em frente ao Marco Zero da cidade; o lindo Museu Cais do Sertão; a Oficina Brennand, visita obrigatória para quem está em Recife; e a Casa Criatura, coletivo de jovens artistas fizeram uma intervenção num antigo casarão de Olinda.

casa criatura
A Casa Criatura é um antigo casarão de Olinda que recebeu a intervenção de jovens artistas. É uma ótima programação do circuito para se conhecer estando em Olinda (Foto: Ale Disaro)

O circuito é extenso e tem muitos lugares para serem visitados.

6) Turismo em Recife, Olinda e arredores

Por último, mas não menos importante, Recife e Olinda são duas cidades deliciosas para se fazer turismo. E se quiser esticar um pouco a viagem, ainda é possível alugar um carro e visitar Tracunhaém, Bezerra, Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros, Ilha de Itamaracá, Caruaru, Garanhuns e Vale do Catimbau; se quiser sair do estado, ao norte João Pessoa e Campina Grande não estão longe; ao sul, percorrer o litoral de Alagoas até Maceió é uma das viagens mais bonitas de se fazer pelo Nordeste.

7) Considerações finais

Fazia tempo que eu não me apaixonava por um evento como me apaixonei pela Fenearte. E como todo mundo diz, é preciso visitar a feira para entender a dimensão de tudo que a gente vive lá dentro. Por mais que a gente conte, escreva, mostre foto… estar lá é especial. O povo é acolhedor, recebe a gente com um sorriso no rosto e gosta de compartilhar. Come-se muito bem e as cidades têm muita história e cultura para amparar a estada. Vemos o quão diverso é o nosso país e como é bom ser brasileiro!

passeio pelas ruas de Olinda, casa amarela em Olinda
Ale passeia pelas charmosas ruas de Olinda (Foto: Ale Disaro)

Convido você a já se planejar para visitar Recife e Olinda durante a Fenearte. Reserve alguns dias da semana durante o começo da feira para visitá-la. Se puder, reserve mais alguns dias para passear pelos entornos. Passeie por Recife e Olinda, depois pegue uma praia no litoral pernambucano ou se aventure pelo agreste e sertão antes de retornar. Será uma viagem inesquecível.

Certamente estarei na edição do ano que vem. Espero encontrar você lá!

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Fenearte: visitando a maior feira de arte pop...

Fenearte: visitando a maior feira de arte popular e artesanato do Brasil

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Que texto bom de ler, parece até que vc tá ao lado da pessoa que escreveu e consegue até visualizar o cenário. Gosto de um texto bem escrito. Parabéns ao escritor que se passa por fotógrafo!

  2. Visitar este local ,onde pulsa a arte é um privilégio.
    Já fui em outras ocasiões.
    Belíssimo

  3. Muito obrigada por esta partilha de todas estes experiência da arte, este texto imensamente apaixonante é um evento a programar no calendário nestes próximos anos. Adorei, amei.

  4. Ale tem a maravilhosa capacidade de nos envolver em sua narrativa, trazendo emoção e informações preciosas. Deu uma vontade imensa de conhecer a Feneart e tudo que acontece por Recife e Olinda nesse período. Obrigada, Ale e Archtrends!

    1. Olinda é uma cidade maravilhosa wue amo muito, com a Fenearte imagino como não está. Obrigada Ale por essa oportunidade e conhecer tanta coisa linda .

  5. Essa reportagem tão bem detalhada da Fenearte 2023 me deu muita vontade de conhece la!!!!👏



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies