12.07.2023
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
Apartamento com conceito aberto, integrando sala e cozinha, em tons claros e poucos elementos em azul que se destacam
Encontrar um lugar para morar pode se tornar uma tarefa difícil sem antes fazer algumas pesquisas Projeto: Eliane Venturai)

Meu primeiro imóvel: 5 dicas de como comprar a casa própria

 minutos de leitura
calendar-blank-line
12.07.2023
Você está começando a se organizar para comprar a casa própria? Confira algumas dicas para evitar dor de cabeça
minutos de leitura

Se a pergunta “como comprar meu primeiro imóvel” tem tirado o seu sono, saiba que provavelmente você não está só. Afinal, comprar uma casa ou apartamento é uma das decisões financeiras mais significativas da vida adulta, pois envolve planejamento e organização.

Uma pesquisa realizada pelo Data Folha mostrou que 55% dos brasileiros não se organizam para investir na casa própria. O estudo mostrou ainda que 52% das pessoas que vão comprar seu primeiro imóvel pretendem fazer um parcelamento, 25% pagarão à vista e 9% querem contratar um consórcio.

Independentemente de qual seja o seu caso, será necessário separar uma boa quantia para pagar impostos, fazer transferências e também fazer algumas reformas na casa.

Como me organizar para comprar meu primeiro imóvel?

Sala diferenciada com escada que passa por cima de uma piscina, parede com horta vertical. Tons neutros de cinza, preto e branco, com poucos elementos em madeira
Antes de selecionar imóveis para visitar, reflita sobre o que você espera que seu novo lar tenha (Projeto: Lilian Cruz)

O valor médio de uma casa no Brasil pode variar significativamente dependendo da região do país, do tamanho da casa, do nível de acabamento e dos recursos adicionais. De acordo com o índice FipeZap de preços de imóveis, que acompanha os preços de venda de imóveis em 20 cidades brasileiras, o preço médio do metro quadrado de imóveis residenciais no Brasil em fevereiro de 2023 foi de cerca de R$ 8.618. 

Ou seja, para obter o valor médio de uma casa, é preciso multiplicar esse valor pelo tamanho da casa em metros quadrados. No entanto, é importante lembrar que o preço médio varia conforme a localização. Dessa forma, considere consultar um corretor de imóveis antes de partir para a busca do primeiro imóvel, pois pode evitar dores de cabeça futura, além de possibilitar um planejamento financeiro mais realista.

Feito isso, confira abaixo os próximos passos que ajudarão você a encontrar respostas para a pergunta “Como comprar meu primeiro imóvel”.

1 – Avalie suas finanças 

Antes de começar a procurar seu primeiro imóvel, é importante saber quanto você pode gastar. Analise suas finanças, incluindo sua renda, despesas e dívidas existentes, para determinar quanto dinheiro você tem disponível para um pagamento inicial e as despesas mensais.

Economize para a entrada ou para quitar as parcelas mês a mês, mas também tenha reservas para possíveis imprevistos. Assim, você não corre o risco de “mexer indevidamente” no dinheiro para investir no imóvel, certo?

Ainda pensando em organização, salde todas as suas dívidas antes de começar uma nova. Desta forma, você garante uma menor probabilidade de comprometer o pagamento das prestações.

Leia também:

2 – Determine o tipo de imóvel que você procura

Área externa com hidromassagem e piscina com cascata d'agua e aérea goumert integrada ao ambiente
Lembre-se que, quanto mais detalhes e cômodos tiver o imóvel, maior será o seu valor final (Projeto: Gil Medeiros / Foto: Monica Assan)

Pense sobre o que você deseja em um imóvel. Você precisa de uma casa com vários quartos para uma família grande ou um apartamento menor para uma pessoa solteira? Onde você gostaria de morar? Em uma área urbana ou rural?

Pensar nestes detalhes fará com que você saiba exatamente por onde começar a busca pelo primeiro imóvel. Porém, lembre-se que estes fatores influenciam diretamente no preço final do imóvel, por isso, também é importante estabelecer prioridades na hora de escolher.

3 – Pesquise as opções de financiamento 

Existem várias opções de financiamento disponíveis no Brasil, confira alguns deles:

  • SFH – Sistema Financeiro de Habitação: é um programa governamental que oferece financiamento para imóveis de até R$ 1,5 milhão em algumas regiões do país. As taxas de juros são regulamentadas pelo governo e podem ser mais baixas do que as de outros tipos de financiamento.
  • SFI – Sistema de Financiamento Imobiliário: é uma opção de financiamento para imóveis com valores superiores ao limite do SFH. As taxas de juros são definidas pelas instituições financeiras e podem variar dependendo do perfil do cliente.
  • Consórcio Imobiliário: é uma modalidade em que um grupo de pessoas se reúne e contribui mensalmente para formar um fundo comum usado para comprar um imóvel. O consórcio é gerenciado por uma administradora de consórcios e as parcelas são definidas conforme o valor do imóvel.
  • Carta de Crédito FGTS: é uma opção de financiamento para trabalhadores que têm saldo em sua conta do FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. É possível usar o saldo do FGTS para pagar parte do valor do imóvel ou das prestações.

4 – Visite propriedades e faça ofertas 

Sacada de apartamento ampla com aérea gourmet aconchegante para recepionar visistas
O tamanho e a localidade do imóvel influenciam diretamente no valor e condições de pagamento. Portanto, visite imóveis dentro do orçamento  (Projeto: Pietro Terlizzi / Foto: Guilherme Pucci)

Visite os imóveis que você está interessado e faça ofertas! Contar com ajuda de um corretor imobiliário pode evitar algumas dores de cabeça. Contudo, certifique-se de escolher um corretor experiente e confiável.

5 – Chegou o dia de comprar o primeiro imóvel

Depois que uma oferta é aceita, é hora de fechar a venda e correr atrás das burocracias. Corretores de imóveis podem ser valiosos para ajudar os compradores a encontrar imóveis que atendam às suas necessidades e possibilidades financeiras, oferecer informações sobre o mercado imobiliário local, fornecer orientações jurídicas e auxiliar em todo o processo de compra, incluindo a negociação de preços e a preparação de documentos legais.

Se o comprador optar por comprar uma casa sem a ajuda de um corretor, é importante realizar uma pesquisa cuidadosa do imóvel e do proprietário, buscar orientação jurídica, verificar todas as informações, como a documentação do imóvel, e ter uma boa negociação com o proprietário ou construtora.

Comprei meu primeiro imóvel. E agora, qual o próximo passo?

Sala de estar integrada com cozinha com ilha em madeira e pedra preta, criando um ambiente casual e aconchegante
Após assinada a documentação, está na hora de fazer as malas e organizar o seu cantinho (Projeto: Tatiana Pradal / Foto: Giovana Gonçalves)

A venda de uma casa no Brasil envolve diversas burocracias que precisam ser cumpridas para que a transação seja legal e segura. Algumas das principais etapas incluem:

Documentação do imóvel: é necessário verificar toda a documentação do imóvel, como matrícula, escritura, IPTU, certidões negativas de débitos e outras certidões, para garantir que o imóvel esteja regularizado e sem pendências legais.

Pagamento de taxas e impostos: o vendedor deve pagar o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e outras taxas que possam ser cobradas pelo município ou estado. O comprador também pode ter que arcar com custos de cartório e escrituração.

Registro do imóvel: após a assinatura do contrato e o pagamento das taxas e impostos, o contrato de compra e venda deve ser registrado no Cartório de Registro de Imóveis da região onde o imóvel está localizado.

É por isso que destacamos ao longo do conteúdo que contratar um corretor de imóvel pode facilitar a sua busca pelo primeiro imóvel, seja uma casa simples e bonita, um loft bem decorado ou até uma mansão. 

O que você precisa saber sobre o ITBI antes de comprar o primeiro imóvel?

Cozinha ampla com detalhes em pedra na parede e ilha com cooktop. Teto em madeira clara combinado com as cadeiras e a mesa do ambiente
É importante que você se informe sobre as taxas do ITB em sua região, pois o imposto pode chegar até a 3% do imóvel (Projeto: Amanda Miranda)

O ITBI – Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis é um imposto municipal que incide sobre a transmissão de bens imóveis, ou seja, na compra e venda de um imóvel. Antes de comprar o primeiro imóvel, é importante que o comprador saiba algumas informações relevantes sobre o ITBI:

Quem deve pagar o ITBI

O imposto deve ser pago pelo comprador do imóvel, e não pelo vendedor.

Qual o valor do ITBI?  

O valor do ITBI varia conforme o município em que o imóvel está localizado e pode chegar a até 3% do valor do imóvel.

Quanto tempo tenho para pagar o ITBI?

O  prazo para o pagamento do ITBI pode variar de acordo com o município, mas geralmente é de alguns dias a algumas semanas após a assinatura do contrato de compra e venda.

O que acontece se eu não pagar o ITBI?

Se o ITBI não for pago dentro do prazo, podem ocorrer consequências legais, como multas e impedimentos para a realização do registro do imóvel.

Quais as documentações necessárias para o pagamento do ITBI?
Para o pagamento do ITBI, o comprador deve apresentar a escritura pública de compra e venda do imóvel e outras documentações que possam ser exigidas pelo município.

Ah, e não se esqueça de consultar a legislação do município em que você comprou seu primeiro imóvel. Como falamos ao longo do texto, as taxas variam de região para região. 

Agora que você já sabe como se organizar para comprar o primeiro imóvel, confira o nosso guia para fazer uma mudança residencial sem dor de cabeça. 

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Meu primeiro imóvel: 5 dicas de como comprar...

Meu primeiro imóvel: 5 dicas de como comprar a casa própria

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. As informações foram explicadas corretamente , excetuando a parte da CARTA DE CRÉDITO FGTS, que não é apenas para os trabalhadores e, sim, para as pessoas que tenham renda de até R$ 8.000,00 e o enquadramento nessa modalidade depende do valor do imóvel.



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies