02.11.2022
Avaliação
()
Além de janelas e portas amplas, iluminação natural também pode ser aproveitada por meio de outras técnicas (Projeto: Portobello S.A.)
0

Iluminação natural: deixe a luz do sol entrar na sua casa

minutos de leitura
Ela melhora o bem-estar e deixa as pessoas mais produtivas. Entenda quai são os benefícios da iluminação natural e descubra como priorizar nos projetos
minutos de leitura

Priorizar a iluminação natural nas construções traz benefícios estéticos e funcionais, além de contribuir para o conforto e o bem-estar. Sem falar que pode ajudar a reduzir os gastos com a conta de energia.

Nas linhas a seguir, reunimos informações importantes para você entender a importância da luz solar, além de dicas de como aproveitá-la melhor. Acompanhe a leitura!

Afinal, o que é a iluminação natural?

Iluminação natural, o que é
Projetos de todos os tamanhos podem se beneficiar da iluminação natural (Projeto: Karla Luize Piloneto / Foto: Artur Pretto)

A iluminação natural é aquela que tem como fonte o sol. Portanto, trata-se de deixar a luz entrar nos ambientes, clareando e também aumentando o bem-estar, como veremos mais à frente.

Para aproveitá-la melhor, é necessário desenvolver projetos arquitetônicos que levem em consideração aspectos como o clima, a orientação solar, as horas de luz por dia e por aí vai.

Dessa maneira, é possível definir a posição da construção no terreno, os melhores locais para cada cômodo e a inclusão de janelas. Sempre priorizando a luz, a ventilação e, claro, o conforto térmico.

Quais são os benefícios da luz solar?

Como mencionamos, a iluminação natural é capaz de aumentar o bem-estar das pessoas.

Ela é fundamental para a manutenção da vida e, por isso, é muito importante que esteja presente nas construções.

Em seguida, confira alguns dos principais benefícios da luz solar.

Aumenta o bem-estar

A luz do sol é essencial para o bom funcionamento do nosso corpo. Por exemplo, é por meio dos raios solares que o organismo humano obtém vitamina D.

Esta é responsável por melhorar a absorção de cálcio, fortalecendo os ossos e melhorando a imunidade.

Além disso, a ausência de luz solar pode causar impactos negativos na saúde mental das pessoas.

Reduz o consumo de energia elétrica

sala com iluminação natural
Com a entrada de bastante luz solar, é possível economizar energia elétrica (Projeto: Cristiane Trommer / Foto: Denise Wichmann)

Priorizar a iluminação natural é bom para o meio ambiente e o bolso.

Afinal, é possível diminuir a conta de energia elétrica com lâmpadas, ventiladores e aparelhos de ar-condicionado, por exemplo.

Além disso, a redução no consumo de eletricidade é uma maneira de ser mais sustentável. Isso porque o processo de produção pode emitir gases poluentes.

Eleva o conforto visual

Nossos olhos ficam mais confortáveis quando há iluminação natural indireta e difusa. Assim, eles conseguem enxergar melhor as formas e cores, sem que haja interferências.

Aumenta a produtividade

Por fim, a iluminação natural é muito importante para quem pratica atividades que requerem concentração e foco. Isso porque ela ajuda a evitar a fadiga e o cansaço.

A luz ativa o cérebro e manda sinais para que o restante do organismo acelere as funções vitais. Quando falta, o corpo entende que é hora de repousar.

Portanto, é essencial priorizar a iluminação natural em projetos empresariais, em instituições de ensino e, claro, no home office.

Quais são as principais técnicas de iluminação natural para usar nos projetos?

Há diferentes formas de aproveitar a iluminação natural nos projetos, clareando os diversos ambientes. A seguir, separamos as principais. Acompanhe.

Iluminação zenital

Iluminação natural, iluminação zenital
Iluminação zenital vem da cobertura das construções (Projeto: Fernando Pherpa)

Esse é o tipo de luz natural que incide a partir de aberturas na cobertura da construção. Além de clarear, tem finalidade estética. Sem falar que ajuda na economia de energia.

Por isso, a iluminação zenital é muito usada em projetos comerciais, como shoppings. No entanto, também pode ser aplicada a casas, principalmente aquelas baseadas na arquitetura verde.

O interessante é que dá para adotar esse tipo de luz de diferentes maneiras, o que permite adaptar para o estilo da construção ou para a estrutura planejada. Entre as principais opções, estão:

  • domos ou cúpulas: muito comuns em igrejas e outros templos religiosos. Podem ser de vidro, policarbonato ou acrílico, com formatos variados como circular, retangular ou quadrado;
  • átrios: consistem em espaços centrais. Podem ter ou não cobertura e, geralmente, dão espaço a pátios, áreas verdes e jardins de inverno, por exemplo;
  • lanternins: formados por duas aberturas na cobertura, em faces opostas. Além de iluminar, também ajudam na circulação de ar;
  • sheds: são mais usados em galpões e fábricas. Sua abertura é orientada para o sul, na intenção de fornecer luz solar indireta;
  • claraboias: também são comuns em áreas comerciais. São aberturas planas, na horizontal;
  • telhas translúcidas: fabricadas em materiais como plástico ou vidro.
Iluminação natural, telhas translúcidas
Telhas translúcidas são opções tanto para projetos residenciais quanto comerciais (Projeto: MarchettiBonetti+ Arquitetos Associados)

Prateleira de luz

Ideal para a entrada de luz solar direta e indireta, a prateleira consiste em uma estrutura horizontal. Ela reflete os raios na vertical, ampliando a área clareada.

Nesse caso, não há ofuscamento, o que reduz o calor. Sendo assim, é uma boa opção para locais com alta incidência de sol.

Uma dica para tornar os espaços ainda mais iluminados é optar por paredes e teto em cores claras. Dessa maneira, é possível refletir luz.

Brises

Os brises são como lâminas. Podem ser fixos ou móveis, aplicados na vertical ou na horizontal. Eles são boas soluções para locais onde há alta incidência de luz solar.

Ao permitir a entrada indireta dos raios, clareiam os espaços sem superaquecer. Ainda oferecem mais privacidade.

Apesar de a sua inclusão aumentar os custos da obra, eles se mostram um bom investimento no longo prazo. Afinal, além do conforto visual e do bem-estar, ajudam a economizar na conta de luz.

Varandas

Iluminação natural, cobogós
Cobogós podem ser usados para separar os espaços e deixar a luz natural entrar (Projeto: Isabelle Vera)

Outra técnica que bloqueia a radiação solar é a inclusão de varandas nos projetos. Muito usadas em prédios residenciais, elas também podem aparecer em áreas comerciais ou casas, por exemplo.

O ideal é que tenha portas de vidro e janelas amplas, favorecendo a iluminação natural. No entanto, para manter a privacidade, é importante instalar cortinas. Outra ideia é apostar nos cobogós para dividir os espaços.

Também é possível apostar em uma varanda com plantas. A vegetação ajuda a reduzir a visibilidade do interior da construção.

Como aproveitar a iluminação natural?

Todos os ambientes podem se beneficiar da iluminação natural. Para isso, é necessário seguir algumas dicas para garantir o melhor aproveitamento. Em seguida, confira boas práticas.

Estude a orientação solar

Iluminação natural, posição solar
Recursos como brises também podem ser usados na fachada para aproveitar melhor a luz solar (Projeto: Renata Lopes)

Para que um projeto aproveite melhor a iluminação natural, o primeiro passo é estudar a posição do sol no terreno onde ele ficará.

Essa etapa garante que a construção vai receber luz solar na medida certa, evitando os efeitos indesejados, como a alta incidência da tarde.

Nesse período do dia, a claridade tende a incomodar. Sem falar que torna os ambientes mais quentes.

De maneira geral, a posição sul é a que menos pega sol. Já a norte é a que recebe maior incidência solar. No entanto, outros fatores interferem, como construções altas por perto.

Caso esse estudo não seja feito, pode haver um grande consumo de energia elétrica. Afinal, as pessoas podem sentir a necessidade de usar ventilador ou ar-condicionado para resfriar o espaço.

Considere a utilidade de cada ambiente

Em alguns espaços, a iluminação natural é fundamental. Isso porque ajuda na concentração e na produtividade.

Nos projetos residenciais, por exemplo, esses ambientes costumam ser a cozinha, o banheiro, a lavanderia e o escritório.

Portanto, priorize a iluminação nesses espaços, garantindo a boa visibilidade na hora de realizar as tarefas do dia a dia.

Escolha materiais e técnicas adequados

Iluminação natural, brises
Com a possibilidade de usar diferentes materiais, brises permitem a entrada de luz indireta, bloqueando o calor excessivo
(Projeto: Portobello S.A.)

Cada projeto tem suas particularidades, como o orçamento para a obra. Isso precisa ser levado em consideração na hora de pensar na iluminação natural.

Sem falar na utilização, que é um ponto fundamental para a escolha dos materiais. Decisões erradas podem dificultar a manipulação das aberturas, por exemplo.

Pense na manutenção

As técnicas para levar iluminação natural aos projetos envolvem materiais e recursos que podem precisar de manutenção periódica.

Um exemplo simples são as janelas de vidro, que precisam de limpeza de tempos em tempos. Além disso, brises tendem a acumular sujeira e ser mais difíceis de higienizar.

Portanto, é necessário considerar esses pontos na fase do projeto, evitando surpresas desagradáveis no futuro.

Use espelhos para potencializar a luz natural

Iluminação natural, espelhos
Espelhos e cores claras estão entre os truques para potencializar a iluminação natural (Projeto: Fernando Pherpa)

Em espaços menores ou com janelas pequenas, uma dica é usar espelhos, que são capazes de refletir a iluminação natural para o restante do ambiente.

Essa sugestão é interessante, principalmente, no caso de banheiros pequenos. Além disso, ela pode ser aplicada em áreas construídas que não aproveitam bem a luz do sol.

Reflita a luz com cores claras

Essa é outra boa ideia para quem tem pouco espaço e, consequentemente, menos fontes de iluminação natural.

As cores claras ajudam a refletir a luz, tornando os ambientes mais iluminados. Além disso, elas também ampliam visualmente os espaços.

Como vimos, a iluminação natural é fundamental nos projetos. Mas há outras maneiras de realçar os espaços. Conheça os diferentes tipos e confira dicas para aplicar!

Compartilhe
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas
Sua avaliação

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

  1. Pelo que eu entendi nesse blog algumas coisas ainda ficaram faltando mais detalhes.Ideal seria detalhar mais esse site para melhor entendimento. Abraços Alina 🙂



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2022- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies