19.09.2022
Avaliação
()
Coliving, flat, loft, duplex... São tantas opções que fica difícil escolher. Afinal, qual o imóvel mais adequado? (Projeto: Portobello S.A.)
Afinal, qual o imóvel mais adequado? (Projeto: Adelia Estevez - Foto Xico Diniz)
0

Loft, flat, coliving... Qual o tipo de imóvel ideal para você?

minutos de leitura
Apartamento pequeno, grande ou dividido? É melhor apostar numa casa ou em um coliving? Conheça as características de cada tipo de residência
minutos de leitura

Quem deseja fazer uma mudança sabe como esse passo é importante. Seja para sair da casa dos pais, seja para encontrar uma moradia melhor, conhecimento é fundamental para diminuir os riscos de uma escolha ruim. Entre março de 2020 e 2021, os brasileiros aumentaram em dez vezes a procura por uma nova casa, apartamento ou loft. Mas moradias coletivas, como o coliving, também estão no radar dessas pessoas.

Coliving, flat, loft, duplex.
Coliving, flat, loft, duplex... São tantas opções que fica difícil escolher
(Projeto: Gebara e Filártiga Arquitetos)

Independentemente do tipo, é preciso saber qual o formato de moradia mais adequada para seus objetivos. Afinal, quem mora sozinho provavelmente não precisa do mesmo tipo de residência que uma família grande. Então, com tantas opções no mercado, como escolher a ideal para suas necessidades? Neste post, você vai entender melhor o que é flat, studio, loft, coliving e muito mais. Confira!

Studio

apartamento tipo estúdio
O studio integra cômodos para melhor aproveitamento do espaço (Projeto: Silvia Pereira)

Mais comum nos grandes centros urbanos, o studio é uma forma de oferecer moradia confortável a quem deseja viver em grandes cidades, mas não encontra valores de aluguel aceitáveis. Isso porque ele costuma cortar espaços pouco usados para quem tem uma vida corrida. Além do mais, costuma estar localizado em edifícios novos.

O studio normalmente tem mais variação de plantas. No geral, ele tem entre 30 m² e é integrado, mas seus quartos (habitualmente apenas um) também podem ter divisórias. Para compensar o pouco espaço, geralmente oferece um condomínio mais completo, com sala de jogos, academia, home office e serviços de conveniência.

Outra vantagem do studio é estar localizado próximo a estações de metrô, museus, shoppings, parques, universidades e outros pontos de interesse de uma cidade. Sua localização é geralmente privilegiada e ideal para quem deseja morar sozinho.

Apartamento

Tipo de imóvel mais comum além da casa, o apartamento é uma unidade residencial que pode conter um ou mais quartos, suíte, banheiro, cozinha, área de serviço e garagem (opcional).

É também a opção mais interessante para quem vai morar em família ou recebe muitos amigos. Isso porque ele varia bastante de tamanho: dá para encontrar imóveis com bem mais de 100 m², três ou mais quartos. Contar com pelo menos dois quartos dá mais possibilidade de receber pessoas na residência ou até mesmo de alugar por noite em plataformas como o Airbnb.

Um apartamento com dois quartos costuma ter entre 45 m² e 70 m ²; já os com três ficam entre 70 m² e 150 m². Além disso, é o imóvel ideal para quem preza por segurança, deseja ter gatos; contudo, dependendo da raça do cachorro (que precisa correr com frequência), a casa pode ser a moradia mais adequada.

Outra características marcante é a definição de cômodos com paredes — um apartamento não costuma ser integrado.

Loft

exemplo de loft
Apesar de integrado, loft é espaçoso (Projeto: Mariana Maran)

O loft é comumente confundido com um studio, mas isso só no seu conceito. Visualmente, ele é totalmente diferente do seu irmão mais novo. Isso porque, enquanto o primeiro costuma ter apenas dois cômodos (quarto-sala-cozinha e um banheiro) e usa a integração dos espaços para dar sensação de amplitude, o loft também não conta com divisórias, mas é realmente espaçoso.

Esse tipo de moradia tem uma estrutura mais confortável, embora com um preço mais baixo do que o praticado em outros tipos de apartamento.

Para ser considerado um loft, o ambiente precisa ter acima de 50 m² e ser inspirado nos galpões americanos das décadas de 1950 a 1960. Portanto, outra característica marcante é que seu pé-direito costuma ser bastante alto, com mais de 5m, e ideal para a construção de um mezanino.

Em sua história, o loft era um antigo galpão, depósito, indústria ou comércio que foi reformado e utilizado como moradia. Portanto, toda a sua estrutura e decoração remonta a esse lado industrial, como instalações elétricas e hidráulicas aparentes.

Coliving

Bem versátil, o coliving pode ser uma casa, um apartamento ou um loft, por exemplo. O importante é que seja um espaço capaz de comportar várias pessoas confortavelmente.

Num contexto geral, o coliving é um local onde diversas pessoas dividem a moradia e as contas. Funciona como uma república, mas voltada a adultos e com uma estrutura muito mais elaborada.

O mais interessante é que o coliving costuma receber pessoas com afinidades entre si, justamente para que a convivência seja mais tranquila. Aqui, há ideais como sustentabilidade, senso de coletividade e economia compartilhada. Portanto, mesmo que haja diversidade num contexto geral, os objetivos são partilhados.

O coliving também pode funcionar como um condomínio: cada morador mora em um pequeno espaço mas compartilha lavanderia, home office e cozinha. É uma ótima oportunidade para pessoas que moram sozinhas, mas não querem se sentir solitárias ou precisam dividir as contas.

Flat

Loft, flat, coliving
Com cara de hotel, o flat traz a praticidade de um apartamento tradicional (Projeto: Alisson Formigoni)

Para quem pode investir um pouco mais, o flat (também chamado de apart-hotel) é a escolha mais adequada. Isso porque ele é um apartamento residencial com serviços de hotelaria mais em conta. Oferece serviços de limpeza diária, lavanderia, alimentação, camareira, manobrista, área de lazer, sauna, playground e TV a cabo. Seu tamanho fica entre 25 m² e 65 m², mas os mais raros podem chegar a 120 m².

Os serviços de um flat variam conforme o investimento — vão dos mais básicos aos exclusivos. Contudo, o valor final e a comodidade fazem dele muito mais vantajoso do que um hotel.

Kitnet

Assim como o loft, a kitnet é outra construção também confundida com o studio, já que ela é totalmente integrado (exceto o banheiro). No entanto, costuma ter até 50 m² e estar presente em prédios mais antigos. Por isso, pode contar com espaços além dos encontrados em construções mais novas, como a área de serviço.

Outro aspecto marcante é que, por ser comumente mais antiga, a kitnet tem seus cômodos mais definidos. Cozinha (um pouco menor), sala e quarto podem não ter divisórias visíveis, mas o ambiente em si é criado como se elas existissem. Além disso, também está presente nos centros urbanos e é consideravelmente mais em conta que um studio.

Levantamento da plataforma de aluguéis e venda de imóveis Quinto Andar mostrou alguns dados interessantes sobre os valores. Segundo a comparação feita pelo site, um studio tem preço de condomínio e aluguel 82% maior do que uma kitnet e um valor por metro quadrado 68% mais alto.

Sobrado

Loft, flat, coliving
Por aproveitar o lado vertical, sobrado consegue ser espaçoso (Projeto: Giovanna Caruso)

O sobrado é como se chama qualquer construção que tenha dois ou mais andares — seja ela residencial (via de regra) ou comercial. É uma ótima opção para famílias grandes, pois costuma ter mais de dois quartos e um amplo espaço para manter a privacidade.

Dependendo da quantidade de andares, o sobrado também será chamado de casa duplex, triplex e assim por diante. Outra característica marcante é que ele pode ser construído em terrenos pequenos e, por aproveitar o lado vertical, consegue ser espaçoso.

Casa duplex

Casa duplex
Dois pavimentos garantem que o duplex seja muito espaçoso (Projeto: Cíntia Cristine Brand)

Segue uma linha parecida com o sobrado, ou seja, é uma casa com dois pavimentos. Normalmente, o duplex conta com os cômodos coletivos no primeiro pavimento, como cozinha, sala e área de serviço. Já no andar de cima ficam os locais privativos, como escritório e quartos.

Casa geminada

Casa geminada
Casa geminada é opção para famílias que desejam ter uma residência própria mais acessáivel (Projeto: Sofia Kozma)

Também chamada de casa conjugada, é o tipo de residência que compartilha terreno e estrutura com construções vizinhas. Ela também tem um padrão de construção: todas as outras costumam ter o mesmo formato e ocupar o mesmo espaço no lote. Além de simétricas, elas podem compartilhar alvenaria, edificação, telhado e parede. Por isso mesmo, são mais comuns em condomínios.

A casa geminada é uma ótima opção para famílias que desejam ter uma residência própria, mas não podem arcar com os altos custos que ela exige. Isso porque, além de compartilhar o terreno, o tipo de construção é idêntico, o que proporciona economia ao construtor. Dependendo de sua localização, podem ser até 30% mais baratas.

Algumas casas conjugadas podem sofrer com falta de iluminação solar e circulação de ar, já que as paredes próximas evitam que o ar entre pelas janelas laterais.

Cobertura

Cobertura
A cobertura oferece uma visão provilegiada da região (Projeto: Claudia Stach e Daniela Bordignon / Foto: Dennys Manske)

Muito procurada por quem pode investir um pouco mais, a cobertura oferece um ótimo espaço e uma vista privilegiada da região. Ela é um apartamento duplex, mas fica localizada nos andares mais altos de um edifício. Também costuma ter espaços privativos, como churrasqueira, área gourmet, piscina e jacuzzi. Portanto, não precisam sair da residência para ter direito aos mesmos benefícios que os outros moradores.

Bangalô

Mais comum na América do Norte, o bangalô é constantemente visto em filmes norte-americanos. Já no Brasil, é construído em praias ou no campo. É uma casa relativamente pequena, de apenas um andar, e com uma varanda na entrada. Tem um ar de casa de campo, com muitos dos seus detalhes construídos em madeira (alguns por completo).

O bangalô é uma ótima opção para quem deseja morar numa casa, mas não precisa de muito espaço. Além disso, funciona como um refúgio das grandes cidades e tem um ar provinciano apaixonante.

Pronto para escolher sua nova residência? Se você vai construir do zero, veja 9 ideias de muros modernos para a casa!

Imagem principal: (Projeto: Adelia Estevez - Foto Xico Diniz)

Compartilhe
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas
Sua avaliação

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2022- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies