07.06.2024
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
casa inteligente com automação
Uma casa inteligente aproveita o melhor da tecnologia para integrar controles, criar cenários e facilitar a vida dos moradores (Projeto: Eveli Balen Forcelini / Foto: Mariana Boro))

Casas inteligentes: como equipar a casa com tecnologia e sustentabilidade

 minutos de leitura
calendar-blank-line
07.06.2024
Conheça mais sobre as casas inteligentes que prometem conforto, sustentabilidade e segurança
minutos de leitura

Com o avanço da tecnologia, é normal que ferramentas inovadoras se tornem cada vez mais acessíveis. E não poderia ser diferente com a automação residencial. Hoje, adotar medidas para ter casas inteligentes não é mais um luxo para pessoas com muito dinheiro ou uma coisa do futuro.

Esse recurso está disponível para uma parcela maior da população e virou preferência entre os jovens — principalmente aqueles que já não moram com os pais.

Tecnologias de automação podem ter diferentes funções em uma residência, tais como melhorar a segurança, otimizar o gasto de energia e criar soluções sustentáveis.

Continue a leitura para saber como essas ferramentas são usadas para facilitar o dia a dia dos moradores e de outras pessoas que utilizam o espaço.

Veja também informações e exemplos de como utilizar a automação em seus projetos, a fim de simplificar a vida dos usuários, economizar energia, aumentar a segurança e ainda deixar a casa sustentável.

Projeto residencial com vegetação, uso de porcelanato claro e mobiliário em tons de marrom
Uma casa inteligente depende de equipamentos e da conexão dos mesmos com uma central de controle (Projeto: Eveli Balen Forceli / Foto: Mariana Boro)

O que são casas inteligentes?

Uma casa inteligente é geralmente descrita como um ambiente que une a tecnologia e o design para solucionar problemas e tornar o cotidiano mais prático.

Essa definição varia e pode incorporar outros elementos, como a sustentabilidade. Vale ressaltar que os projetos de automação residencial devem levar em conta o estilo de vida, as necessidades e o investimento que os moradores podem fazer.

De forma geral, uma casa inteligente deve integrar os sistemas de automatização e centralizar o controle em uma interface responsiva e amigável. O sistema deve ser fácil e intuitivo, capaz de se adaptar aos diferentes suportes e necessidades.

A automação deve ser usada para realizar tarefas simples, como ligar e desligar eletrodomésticos usando o celular. Ela também deve ser útil para tarefas mais complexas. É o caso de programar ações para deixar a casa um ambiente prático e confortável.

Essas funções podem ser programadas com antecedência, agendadas ou mesmo acionadas a qualquer momento. As casas inteligentes podem economizar energia, são mais seguras, interativas e facilitam a execução de pequenas tarefas do dia a dia.

É possível que uma moradia tenha vários sistemas automatizados, mas que não são compatíveis ou não estão integrados. Uma casa inteligente deve integrar todos os sistemas automatizados.

Solução também para empresas e poder público

O uso das tecnologias de automação pode tornar inteligentes edifícios comerciais e públicos, não apenas casas.

Algumas empresas investem em projetos inteligentes e sustentáveis para construir seus escritórios ou pequenas áreas dedicadas aos funcionários. Essas iniciativas são muito importantes para mostrar que a tecnologia é acessível e as construções inteligentes são possíveis.

Um exemplo de prédio com diferentes sistemas de automação voltados especificamente para a sustentabilidade é o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

O museu tem o teto coberto com placas fotovoltaicas que se movimentam conforme o deslocamento do sol. Toda a água usada no sistema de refrigeração do prédio é coletada da Baía de Guanabara, filtrada e depois devolvida limpa para o mar.

Destaque para o Museu do Amanhã, no RJ, que tem o teto feito com placas fotovoltaicas
Museu do Amanhã, projeto de Santiago Calatrava, se destaca pelo uso da automação e por ter a sustentabilidade como princípio (Projeto: Santiago Calatrava / Foto: Mateus S. Figueiredo / WikiCommons)

Leia também:

O que é necessário para uma casa inteligente?

Para muitas famílias, a transformação do ambiente residencial em casas inteligentes começou como uma simples medida de segurança. Mais precisamente, com sensores e câmeras de monitoramento que podem ser acompanhadas do celular.

Essas funções especialmente úteis para quem mora com crianças pequenas ou idosos e quer garantir a segurança dessas pessoas.

Com o tempo, outras formas de automatização ganharam espaço, como o uso de lâmpadas com sensores de presença.

Partindo desses pontos de entrada para a tecnologia, é possível implementar muitas outras funções na casa visando segurança, praticidade, conforto e sustentabilidade.

Confira alguns itens que podem ser incorporados para ter casas inteligentes:

Itens de segurança

Conforme apontamos, a segurança é um dos maiores motivos pelo qual as pessoas automatizam suas casas.

A busca por itens de segurança, como fechaduras eletrônicas, câmeras, sensores de movimento e alarmes, cresceu muito nos últimos anos e não deve diminuir tão cedo. Segundo estimativa do Business Research Insights, o mercado de fechaduras digitais deve passar de 7 bilhões de dólares até 2032

A possibilidade de transmitir a filmagem de câmeras de segurança encanta os moradores. Isso torna possível criar sistemas integrados com a internet e monitorar toda a casa a partir de qualquer lugar do mundo.

A abertura e o fechamento dos portões de prédios e condomínios podem ser automatizados e realizados com o uso de senhas. Esta tecnologia também garante o controle do horário no qual cada pessoa passa pelos locais.

Estes sistemas de segurança podem garantir a tranquilidade de muitas famílias. Afinal, estas tecnologias têm como objetivo tornar as casas inteligentes lugares seguros para os moradores.

Dispositivos que podem ser pré-programados

Nas casas inteligentes, as tarefas cotidianas podem ser agendadas com o uso da automação. Jardins, por exemplo, podem ser regados com sistemas automáticos de irrigação.

A iluminação da área externa pode ser agendada para horários determinados, além de ser combinada com sensores de presença. Tecnologia que já é bastante usada nas áreas comuns de prédios residenciais e comerciais.

Outras pequenas tarefas do cotidiano podem ser automatizadas sem muito problema, como a diminuição do som em salões de festa depois de determinado horário.

Também é possível agendar e ligar remotamente aspiradores robô, máquinas de pão, cafeteiras. E também ligar e desligar o aparelho de ar condicionado ou controlar o consumo de energia dos equipamentos.

Esse sistema não é complexo e costuma agilizar algumas tarefas recorrentes, como cozinhar, lavar roupas e lavar louças. Em sua maioria, as máquinas podem ser programadas para executar suas funções em uma hora específica.

Aplicativos e assistentes virtuais para criação de cenários

A automação também é usada para criar cenários para momentos específicos.

Os cenários são um conjunto de características que podem ser programadas e acionadas ao mesmo tempo. Por exemplo, o cenário cinema pode ser ativado na sala. Assim, as cortinas vão fechar, as luzes diminuem e o ar condicionado é acionado na temperatura programada.

A cor das luzes também pode mudar de um tom mais amarelado pela manhã para um azulado calmante com o passar do dia. Tudo isso apertando apenas um botão ou ativando o cenário por comando de voz através de aplicativos de controle ou por meio de assistentes virtuais.

As possibilidades de cenário são inúmeras. É possível programar cenário para hora de dormir, um para a hora de chegar em casa. Um cenário de festa, de relaxamento, de cozinhar. Em poucos segundos, cria-se o ambiente ideal para a atividade que você quiser.

É uma combinação de funções automáticas que formam um ambiente aconchegante, romântico ou divertido.

Eletrodomésticos inteligentes

Os eletrodomésticos inteligentes têm ganhado destaque no mercado. Eles são os parceiros ideais das casas inteligentes. E ter um desses em casa pode ser mais fácil do que parece.

Muitas vezes, um simples aparelho wireless resolve a automação do eletrodoméstico usando apenas internet.

A lista dos eletrodomésticos inteligentes só cresce. São televisões, refrigeradores, fornos, máquinas de pão, aspiradores de pó etc.

Existem inúmeras opções de robôs que aspiram a casa sozinhos, escaneando o espaço e se especializando pelo aprendizado de máquina. Eles também podem ser comandados por controle remoto e são uma grande ajuda para pessoas com crianças ou pets em casa.

A sustentabilidade nas casas inteligentes

Sala em tons de verde com sofá em couro, luminárias e spots em metal e móveis em madeira
Além de facilitar a rotina da casa e proporcionar conforto, a automação pode ser uma excelente forma de ajudar o planeta (Projeto: IDEA Arquitetura)

A integração de soluções sustentáveis nas casas inteligentes é um passo crucial em direção a um estilo de vida e de arquitetura mais consciente e energeticamente eficiente.

Ao incorporar tecnologias de automação, como o uso de sensores de luz e sistemas de irrigação inteligentes, os morados simplificam suas rotinas diárias e também contribuem para a preservação do meio ambiente.

Um aspecto que deve ser levado em conta na concepção de projetos sustentáveis é o aproveitamento máximo dos recursos renováveis disponíveis, como o sol e os ventos. A estrutura da casa deve ser projetada levando em conta a orientação solar e a ventilação natural.

A reutilização de recursos como água da chuva e tratamento das águas são práticas sustentáveis que podem ser incorporadas no projeto.

Sistemas de captação e filtragem podem ser integrados ao projeto, permitindo que a água seja utilizada para descarga de vasos sanitários ou na irrigação. Uma abordagem que reduz o consumo de água potável e contribui para a redução dos gastos com a conta de água.

Outro aspecto importante é a geração de energia limpa. Sempre que possível, este aspecto deve fazer parte das casas inteligentes.

Painéis solares podem ser instalados em telhados para fornecer energia renovável que alimentará dispositivos eletrônicos. Estes painéis podem até mesmo alimentar os próprios sistemas de automação da residência.

Caso a energia gerada seja excedente, é possível vendê-la para a concessionária de energia elétrica e gerar créditos para o titular da conta.

Essas são algumas práticas que tornam as casas inteligentes mais eficientes em termos de recursos. A economia a longo prazo e a garantia do meio ambiente saudável são alguns dos bônus de adotar estas soluções.

Automação que gera economia

As casas inteligentes também podem ser consideradas investimentos. É preciso ter em mente que a automação pode gerar uma grande economia no longo prazo. A economia pode ser financeira ou de tempo. Uma casa inteligente permite que os moradores se dediquem a tarefas e atividades mais importantes e prazerosas.

Sensores de presença podem ligar e desligar as luzes de corredores e escadas em áreas comuns de prédios, por exemplo. Esta iniciativa poupa energia de horas e horas e aumenta a vida útil das lâmpadas.

Os sensores também são ótimas opções para garagens. Eles facilitam para os motoristas que precisam enxergar em lugares que muitas vezes não são iluminados pelos faróis.

As possibilidades são inúmeras. Vão desde controlar a abertura e o fechamento de janelas para evitar que a casa fique muito quente até automatizar o horário de abertura das cortinas pela manhã. Fechaduras eletrônicas com senhas, leitores biométricos ou reconhecimento facial dão a praticidade de não carregar uma chave.

As casas inteligentes também podem ter seu valor de mercado incrementado por conta das tecnologias instaladas. Estes recursos podem também facilitar a venda ou aluguel do imóvel.

As novas gerações e a demanda pela automação

Homem em um prédio usando óculos de realidade virtual, apple vision pro
O avanço das tecnologias movimenta o mercado de automação, principalmente entre os jovens da Geração Z e entre os Millenials (Foto: Yanick/Unsplash)

Antes, o perfil de consumidores de automação era majoritariamente composto por homens mais velhos. Hoje, é comum que os jovens também procurem por serviços de automação.

A demanda por casas inteligentes está sendo impulsionada principalmente pelas gerações mais jovens, como a Geração Z e os Millennials.

Esses grupos, que cresceram imersos na tecnologia, buscam cada vez mais comodidades. Eles querem facilidade nas suas vidas. Para estes jovens, a automação residencial não é apenas conveniência. É uma extensão natural de seu estilo de vida digital e conectado.

A demanda por casas inteligentes alcança também os mais velhos, que reconhecem os benefícios da automação para a segurança, conforto e eficiência energética. Afinal, a facilidade de controlar dispositivos através de smartphones e assistentes de voz é atraente para todas as idades.

Combinando a praticidade da automação com a crescente preocupação com questões ambientais e sustentabilidade, as novas gerações estão buscando soluções que ofereçam não apenas conforto, mas também consciência ambiental.

As casas inteligentes que integram tecnologias sustentáveis estão se tornando cada vez mais populares entre aqueles que desejam viver de forma mais consciente em relação ao meio ambiente.

Automação, autonomia, segurança e economia

Automação, autonomia, segurança e economia são os alicerces das casas inteligentes. Ao integrar esses elementos, simplificamos tarefas diárias, personalizamos ambientes. Reforçamos a segurança e economizamos recursos.

Essa abordagem não apenas melhora a qualidade de vida. Ela também promove uma vida mais consciente e sustentável. As casas inteligentes não são apenas o futuro, mas também uma resposta eficaz às necessidades do mundo moderno.

Você também pode se interessar em ler sobre cidades do futuro: como serão os novos espaços urbanos.

Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

Casas inteligentes: como equipar a casa com t...

Casas inteligentes: como equipar a casa com tecnologia e sustentabilidade

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies