26.05.2022
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
Avaliar
pink
Crédito: WGSN

As cores de 2023 a 2025

 minutos de leitura
calendar-blank-line
26.05.2022
O Color Forecasting é o processo de antecipação de possíveis tendências de cores. Recentemente a WGSN anunciou as suas apostas para o que vem por aí. Confira
minutos de leitura

Baseando-se em estudos de tendências de consumo e análises de comportamento apontadas por grupos de influência, especialistas de Color Forecasting são capazes de auxiliar o mercado no entendimento e desenvolvimento de produtos e serviços alinhados ao espírito do tempo. 

A WGSN e a Coloro são grandes especialistas no segmento das cores que são parte fundamental do desenvolvimento de experiências imersivas para os consumidores, tanto digitais quanto físicas. Por isso, as tendências de cores reverberam para tantos segmentos - da comunicação ao setor automobilístico. 

Vamos ver o que essas duas referências de tendências estão apontando de caminho para as cores em 2023-2025, e como elas podem impactar os setores de design, arte e arquitetura: 

Estética digital 

Com o crescimento da imersão no universo digital e a aproximação entre virtual e físico, a estética digital avança sob o mundo real, e o espectro de cores possíveis se amplia. O design digital inspira o uso dinâmico das cores, que se transformam no ambiente. Segundo a WGSN, a ideia de realidades mistas será uma força dominante, e as cores serão selecionadas para transitar entre esses ambientes. 

No setor da arquitetura, a IKEA e a Space10 se uniram para imaginar como a tecnologia pode participar do cotidiano da casa, construindo experiências que fogem do comum. O ‘Optical Soundsystem’ é um projeto de realidade aumentada que permite “ver as cores da música” dentro do ambiente. 

cores do som
Crédito: IKEA/Space10/Manvs Machine

Tingimento bacteriano 

A biotecnologia nos pigmentos traz possibilidades de tingimento a partir da ação de microrganismos, e possuem o potencial de criar uma gama de cores sustentáveis para uso comercial. Além da possibilidade de produção menos agressiva, os pigmentos bacterianos podem produzir cores e acabamentos únicos. 

Segundo a WGSN, a biociência será uma das tecnologias de cores futuras mais empolgantes para ficar de olho. É o caso, por exemplo, da startup Colorifix, que produz pigmentos biodegradáveis, e que economizam até 90% de água na produção. Essa tendência aponta também para o uso de materiais orgânicos e naturais. 

Neutro is the new black 

A WGSN aponta ainda que a crescente conscientização sobre a escassez de água está levando muitas indústrias a repensarem seus processos de fabricação - o que inclui a indústria de tingimentos em todas as escalas, um processo que pode ser muito poluente. Além disso, a demanda pelo minimalismo já vem sendo vista há um tempo, como comentei aqui

Dentro desse misto de novos desejos e novas necessidades, as cores neutras (re)surgem ganhando um novo olhar. As paletas de brancos e beges, junto a materiais crus como algodão, linho e cânhamo são apostas para os setores de têxteis, tintas, revestimentos, mobiliários e mais. No design de interiores, o japandi é um estilo que conversa com esta tendência.  

Conexão, cuidado e comunidade são as três palavras-chave que traduzem os sentimentos dos consumidores neste futuro/presente marcado por incertezas, que permeiam os setores políticos, econômicos e ambientais. O momento de inquietações estimula a busca por equilíbrio e transformação. 

“Projetar para a emoção será fundamental, pois os consumidores precisarão se sentir apoiados enquanto constroem sua visão do futuro”, diz a chefe de cores da WGSN, Jenny Clark. As cores-chave para os próximos 3 anos navegam pelos tons de violeta, azul e verde, com efeitos iridescentes e fluorescentes. Confira algumas delas: 

  • Fondant Pink é um tom pastel que fica entre o lavanda e o rosa. Essa cor inspira prazer e bem-estar, trazendo um contraponto para a ansiedade. 
  • Elemental Blue é um tom de índigo claro que conversa com um estilo de vida mais lento e com uma maior consciência sensorial - além de ser uma cor versátil que agrada a todas as faixas etárias. 
  • Sage Leaf é um verde calmo e tranquilo que infunde uma sensação de contemplação, descanso e reflexão. 
  • Cyber Lime é um neon forte que simboliza a conexão entre natureza e tecnologia, presente tanto em materiais biológicos quanto em mundos digitais e sintéticos. 
  • Nutshell é um marrom picante que conversa com a sustentabilidade e a busca pelo atemporal e clássico, além de ser uma cor quente, que evoca calor e aconchego. 
  • Por fim, Digital Lavender é o tom apontado pela WGSN para ser a cor do próximo ano, 2023. A cor tem propriedades calmantes e equilibradoras, além de estar muito presente em plataformas digitais e representar muito bem o misto entre virtual e real. 
Compartilhe
Avaliação 
Avalie
 
Sem votos
VOLTAR
ESC PARA FECHAR
Minha avaliação desse conteúdo é
0 de 5
 

As cores de 2023 a 2025...

As cores de 2023 a 2025

  Sem votos
minutos de leitura
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

André Carvalhal
Colunista
Colunista

Escritor, consultor e especialista em design para sustentabilidade. Autor dos best-sellers "Como salvar o...

Conhecer artigos



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2024- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies