13.11.2022
Avaliação
()
Frank Gehry, Museu Guggenheim Bilbao
Museu Guggenheim, em Bilbao, na Espanha, é considerada uma das principais obras de Frank Gehry (Foto: Zarateman) (Foto: Zarateman)
5

Frank Gehry: o grande mestre da arquitetura desconstrutivista

minutos de leitura
Conheça a vida, a história e as obras de Frank Gehry, arquiteto, urbanista e designer que se consagrou pela ousadia de formas e materiais
minutos de leitura

Sempre aberto a experimentações, Frank Gehry foi responsável pela quebra de um paradigma conservador a partir da segunda metade do século XX.

Basicamente, ele abriu espaço para projetos ousados e inovadores, que o tornaram um dos grandes nomes da arquitetura desconstrutivista.

Suas construções são verdadeiras obras de arte, fazendo com que as pessoas passem um bom tempo apreciando detalhes que, muitas vezes, parecem inacabados.

Volumes, formas e materiais inusitados compõem edifícios e casas que imprimem o estilo do arquiteto, que você vai conhecer melhor a seguir!

Conheça a vida e a carreira de Frank Gehry

Frank Gehry
Inovação e ousadia marcam a trajetória de Frank Gehry na arquitetura (Foto: Paul Morigi)

Nascido em 28 de fevereiro de 1929, em Toronto, no Canadá, Frank Gehry é um arquiteto conhecido por projetos com formas ousadas e materiais incomuns, geralmente metálicos.

De origem polonesa e judia, sua obra mais notória é o Museu Guggenheim, em Bilbao, na Espanha. Contudo, a lista é extensa, com direito a peças de design e criações recentes. É o caso da torre residencial na sua cidade natal.

Ainda nos dias atuais, seu escritório segue desenvolvendo projetos controversos, que desafiam a física. Entre os principais estão a Fundação Louis Vuitton, em Paris (França), e o Biomuseu, na Cidade do Panamá (Panamá).

No entanto, sua criatividade vem de longe, e é fruto da criação que teve. Durante a infância, ele brincava com a avó, Leah Caplan, criando cidades imaginárias.

Já seu avô dava restos de materiais de sua loja de ferragens para Gehry brincar, o que influenciou na escolha das matérias-primas que usa em seus projetos.

Em 1949, o arquiteto foi morar em Los Angeles, nos Estados Unidos. Por lá, estudou Arquitetura na Faculdade do Sul da Califórnia. Depois, cursou Urbanismo na Universidade de Harvard.

Durante sua carreira, passou por diversos escritórios, inclusive na França. Até que, em 1962, fundou sua própria empresa, a Frank O. Gehry & Associates.

Naturalizado norte-americano, uma curiosidade é que ele precisou mudar seu nome, de Ephraim Owen Goldberg para Frank Owen Gehry, para fugir da discriminação antissemita após a Segunda Guerra Mundial.

Mobiliário jogou luz sobre o trabalho de Frank Gehry

Frank Gehry, mobiliário
Peças da coleção de mobiliário podem ser vistas em museus, como o Museu de Arte de Indianápolis, nos Estados Unidos (Foto: Sailko)

Apesar de ter seu próprio escritório de arquitetura, a carreira de Frank Gehry nessa área veio de um jeito um pouco diferente.

Entre 1969 e 1973, ele vendeu uma série de mobiliários de papelão, chamada de Easy Edges.

A ideia surgiu depois que Gehry descobriu que quando utilizado em diversas camadas alternadas, o papelão ondulado fica resistente o suficiente para o uso diário em uma cadeira, por exemplo.

Entretanto, ele decidiu interromper as vendas para quem não ficasse conhecido como um designer de mobiliário, já que seu objetivo era ser arquiteto.

Ainda assim, o estilo persistiu e até hoje é usado por designers e arquitetos. Inclusive, peças de sua coleção podem ser vistas em grandes museus, como o de Arte Moderna de Nova York (MoMA).

Arquitetura de Frank Gehry contribuiu para identidade de Los Angeles

Frank Gehry, casa
Casa importante do início da carreira de Frank Gehry, em Santa Mônica, é seu lar até hoje (Foto: IK's World Trip)

O mobiliário foi o responsável pela ascensão de Frank Gehry. Afinal, foi graças ao dinheiro dessas vendas que ele iniciou a remodelação da sua casa em Santa Mônica, na Califórnia (Estados Unidos).

A partir daí, foi convidado para elaborar o projeto de outras residências na região, além de obras públicas, chamando a atenção no mundo da arquitetura.

Foi então que Gehry ficou conhecido como um dos idealizadores da chamada arquitetura desconstrutivista.

O movimento pós-moderno tem como característica projetos não-lineares. Isso quer dizer que há fragmentações e deslocamentos de elementos, como o piso de seu “lugar-comum”.

O resultado é um visual desconstruído, mas de um jeito muito harmonioso.

Obras de design também marcam a carreira do arquiteto

Além do mobiliário desenvolvido no início da sua carreira, Frank Gehry é conhecido como designer por causa de outros trabalhos importantes.

Na década de 1980, ele criou as luminárias Fish, inspiradas em peixes. Também assinou esculturas e seis coleções para a conceituada joalheria Tiffany & Co.

Teve até uma garrafa de vodka para a Wyborowa e uma colaboração no universo dos esportes. Em 2004, Gehry desenhou o troféu da Copa do Mundo de Hóquei.

Da vida real para as telas

Uma homenagem a Frank Gehry é o documentário sobre a sua trajetória, Sketches of Frank Gehry. Em tradução literal do inglês, o título quer dizer “Esboços de Frank Gehry”.

Lançado em 2005, o filme tem direção de Sydney Pollack e reúne entrevistas com o arquiteto, além de imagens registradas em países como Estados Unidos e Alemanha.

Também é possível observar um pouco do seu processo criativo e detalhes a respeito da sua vida pessoal e profissional.

Para dar mais vivacidade ao documentário, há ainda depoimentos de admiradores e críticos, como Herbert Muschamp e Bob Geldof.

Gehry tem maior prêmio da arquitetura

Em 1989, Frank Gehry foi o vencedor do Prêmio Pritzker, a maior premiação de arquitetura.

Com a continuidade de projetos ousados, cheios de volumes e formas complexas, ele se consagrou como um dos grandes nomes do século XX.

Assim, conquistou prêmios como o Príncipe das Astúrias (2014) e a Medalha Presidencial da Liberdade (2016), do então presidente norte-americano Barack Obama.

Tecnologia sempre presente ajudou a se reinventar

Para tornar seus projetos possíveis, Frank Gehry alia a estética à tecnologia.

Afinal, para desafiar a física com as formas e os materiais de suas obras, é necessário usar um computador para calcular cada detalhe de maneira precisa.

Mas a tecnologia não está presente só nessa área da carreira do arquiteto. Sempre inovando e se reinventando, ele e sua equipe criaram um software chamado GTEam.

Basicamente, a solução se integra a outras ferramentas de arquitetura tradicionais, ajudando outros profissionais a criarem projetos tão ousados quanto os dele.

Além disso, Gehry disponibiliza um curso online, em que divide suas experiências e seus conhecimentos com alunos de todo o mundo.

Confira as principais obras de Frank Gehry

Depois de levar o Pritzker, Frank Gehry ganhou de vez o mundo e foi responsável por grandes obras em diversas cidades. Desde casas e sedes de empresas até museus.

Incluindo as criações já citadas, o arquiteto imprimiu seu estilo em alguns projetos específicos que ganharam muito destaque, como os que veremos em seguida.

Museu Guggenheim Bilbao

Frank Gehry, Museu Guggenheim Bilbao
Considerada a principal obra de Frank Gehry, museu fica na Espanha(Foto: Giomodica)

Localizado em Bilbao, na Espanha, o museu é considerado a principal criação de Frank Gehry.

Ele fica em uma zona portuária e é todo revestido em titânio. Sua construção fez parte do projeto de modernização da área industrial.

A obra impulsionou a economia da cidade e também a carreira de Gehry. O arquiteto, inclusive, reconhece que o sucesso dela fez com que seu espírito de estrela aflorasse.

Residência Gehry

A casa que deu origem ao seu sucesso como arquiteto é habitada por ele até hoje.

Situada em Santa Mônica, na Califórnia (Estados Unidos), ela foi comprada por Frank Gehry e sua esposa e customizada pelo mestre da arquitetura.

Portanto, é uma mistura de novo e antigo, com estruturas que se sobrepõem de um jeito único e inovador.

Walt Disney Concert Hall

Frank Gehry, Walt Disney Concert Hall
Casa de shows em Los Angeles chama a atenção pela imponência e localização central (Foto: Carol M. Highsmith)

No centro de Los Angeles (Estados Unidos), a obra conta com curvas brilhantes que marcam o estilo de Frank Gehry. O projeto de 2003 levou 16 anos para ser construído e abriga uma casa de shows.

Casa Dançante

Frank Gehry, Casa Dançante
Obra de Frank Gehry em Praga, na República Tcheca, é verdadeiro ponto turístico (Foto: Dino Quinzani)

A chamada Casa Dançante é uma construção criativa e curiosa, localizada em Praga, na República Tcheca.

Sua arquitetura faz alusão a um casal dançando. A ideia inicial era que o prédio fosse um centro cultural. Entretanto, hoje em dia a estrutura abriga escritórios comerciais.

Fundação Louis Vuitton

Localizado em Paris, na França, é um museu de arte e centro cultural patrocinado pela marca que dá nome à Fundação.

A construção fica à margem de um jardim d'água, criado especialmente para o projeto. Além da área externa, o interior também surpreende pela arquitetura desconstruída.

Pavilhão Jay Pritzker

Às margens do Lago Michigan, em Chicago (Estados Unidos), está o Pavilhão Jay Pritzker, que fica no Millennium Park. Ao ar livre, o local é um elemento de design que recebe concertos e apresentações.

Hotel Marqués de Riscal

Frank Gehry, Hotel Marqués de Riscal
Entre as obras de Gehry há casas, museus e até hotéis (Foto: Nicola)

Em Elciego, na Espanha, este é um hotel de luxo. Inaugurada em 2006, a construção se tornou um símbolo modernista que imprime o estilo de Frank Gehry em diferentes aspectos, como no teto de titânio.

Biomuseo

Com foco na história do Panamá, o museu destaca o papel dos seres humanos no século XXI. A construção, que fica na Cidade do Panamá, é o primeiro grande projeto de Frank Gehry na América Latina.

Opus Hong Kong

A obra de Frank Gehry também pode ser apreciada no Oriente, como no Opus Hong Kong, que fica na região de mesmo nome.

O arranha-céu tem 12 andares e é residencial. Sua conclusão foi em 2012, em um projeto do arquiteto em colaboração com Ronald Lu and Partners.

Se você aprecia o estilo de Frank Gehry, outro grande nome da arquitetura mundial que precisa conhecer é Norman Foster. Continue no Archtrends para saber tudo sobre ele!

Compartilhe
Em análise Seu comentário passará por moderação.
Você avaliou essa matéria com 1 estrela
Você avaliou essa matéria com 2 estrelas
Você avaliou essa matéria com 3 estrelas
Você avaliou essa matéria com 4 estrelas
Você avaliou essa matéria com 5 estrelas
Sua avaliação

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.



Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades de arquitetura e design no Brasil e no mundo.

    O Archtrends Portobello é a mais importante fonte de referências e tendências em arquitetura e design com foco em revestimentos.

    ® 2022- Archtrends Portobello

    Conheça a Política de Privacidade

    Entenda os Termos de Uso

    Veja as Preferências de Cookies